Translate, traduzir

Guerras religiosas (parte VII)

 

Continuação do post anterior

 

Livres dos Fardos Religiosos

 

Já tivemos muitas guerras que não foram motivadas por questões religiosas, mas que envolveram nações e grupos rotulados de cristãos diante da Igreja, muitas vezes, omissa e conivente com muitas delas.

 

Você sabia que a maioria das guerras do mundo, a partir do ano 1000, quase 80 por cento envolveram nações que têm o Antigo Testamento da Bíblia, conhecido como Talnak pelo judaísmo, em suas bases religiosas? Sabia que entre as principais guerras, a partir desse mesmo ano, mais de 90 por cento envolveram Israel e nações, e grupos ditos cristãos? É difícil encontrar uma guerra na história, onde não haja alguma nação ligada ao cristianismo. Mas será que o verdadeiro Jesus Cristo, o Príncipe da Paz, está feliz, vendo todo esse belicismo, fundamentado nos arcaicos livros do Antigo Testamento?

 

Observe, na tabela, que até o ano 999 da era cristã, o maior número de conflitos, no mundo, foi praticado fora do cristianismo.

 

Guerras no mundo entre o ano 1 a 999 da era cristã [1]

Nº de guerras

Nº de guerras envolvendo Israel e nações, e grupos rotulados de cristãos

Nº de guerras envolvendo nações e grupos islâmicos

Nº de guerras envolvendo nações e grupos ligados a outras religiões

Nº de guerras totalmente fora do cristianismo e de Israel

77

28

14

41

49

 

Lamentavelmente, a partir do ano 1000 e, principalmente, depois do ano 1500, quando as igrejas Católica e protestantes, agora bem afastadas do evangelho original de Jesus Cristo, o mundo dito cristão alcança o primeiríssimo lugar, provocando a maioria das guerras do mundo, incluindo as principais guerras. Além disso, de acordo com as duas tabelas, o número de guerras saltou de menos de 100, no primeiro milênio, para mais de 1000, no segundo milênio. É por isso, que Jesus profetizou: “E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino.” (Mateus 24.6-7a, RA.) [2] Observe, na tabela seguinte, o aumento das guerras, principalmente no cristianismo. Também é importante frisar que o poder das guerras, com os novos arsenais, com armas muito mais poderosas, tecnologias avançadas, novas estratégias, etc., se tornaram muito mais letais.

 

Guerras no mundo entre o ano 1000 a 2013 [3]

Data

Nº de guerras

Média de guerras por ano

Nº de guerras envolvendo Israel e nações, e grupos rotulados de cristãos

Nº de guerras envolvendo nações e grupos islâmicos

Nº de guerras envolvendo nações e grupos ligados a outras religiões

Nº de guerras totalmente fora do cristianismo e de Israel

1000  a 1099 [4]

15

0,15

10

1

6

5

1100 a 1199 [5]

11

0,11

7

4

4

4

1200 a 1299 [6]

22

0,22

21

6

3

1

1300 a 1399 [7]

22

0,22

17

3

4

5

1400 a 1499 [8]

37

0,37

30

9

4

7

1500 a 1599 [9]

80

0,80

63

21

12

17

1600 a 1699 [10]

88

0,88

75

14

14

13

1700 a 1799 [11]

93

0,93

80

11

32

13

1800 a 1899 [12]

320

3,20

280

43

138

40

1900 a 1999 [13], [14], [15]

313

3,13

220

93

68

93

2000 a 2013  [16], [17], [18]

53

4,07

23

13

16

30

Totais

1054

-

826

218

301

228

Porcentagem

 

 

78,36%

20,68%

28,55%

21,63%

Descrição: Guerras no mundo entre o ano 1000 a 2013. Data: maio/2014. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

 

image

Descrição: Data: 06 de março de 2011. Autor: Chris Phutully da Austrália. Fonte e obra completa. Licença CC BY.

Nesta tabela, temos a maioria dos conflitos mundiais, computados a partir do ano 1000 até o início do século XXI. Observe que:

 

    Em primeiro lugar, estão Israel, nações e grupos rotulados de cristãos com 78,36%.

    Em segundo lugar, estão as nações e grupos de outras religiões fora o islã com 28,55%.

    Em terceiro lugar, estão as nações e grupos islâmicos com 20,68%.

 

É interessante observar que as nações e grupos fora do cristianismo, na maioria das vezes, lutaram em guerras provocadas por nações e grupos ditos cristãos. O número de guerras envolvendo apenas nações e grupos das demais religiões é pequeno: 228, equivalente a 21,63%. Além disso, foram, na maioria, conflitos menos expressivos. Isso coloca o cristianismo como a religião mais bélica do mundo. É claro que sou cristão. E é evidente que o verdadeiro Jesus Cristo não tem nada a ver com tudo isso. Nenhuma nação ou grupo ligado ao cristianismo não buscou inspiração para guerras nos ensinos de Jesus e dos apóstolos. Eles não fizeram apologia a nenhuma guerra. A única guerra anunciada é a batalha espiritual conforme Efésios 6.10-18. [19] As influências belicistas talvez tenham vindo do Antigo Testamento, uma vez que praticamente todas as igrejas institucionalizadas dão grande valor às guerras dos hebreus.

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br