Guerras religiosas (parte III)

Continuação do post anterior

 

Livres dos Fardos Religiosos

 

As pessoas mais sensatas, aquelas que são contra todo tipo de crime contra a humanidade, se sentem incomodadas com as guerras que os hebreus promoveram na terra de Canaã. Os horrores registrados no Antigo Testamento, mesmo com todos os eufemismos, causam incômodos em muitas cabeças cosmopolitas, aqueles que consideram o mundo como a pátria de todos. [1]

 

 

image

Descrição: Mapa da Terra de Israel, tal como definido em Números 34 e Ezequiel 47. Data: 21 de outubro de 2007. Autor:

Emmanuelm. Fonte. Licença CC BY.

Houve dezenas de guerras apenas com o intuito de dominarem pessoas e territórios. Isso aconteceu baseado na crença religiosa de que Deus havia dado para eles (os hebreus) a terra de Canaã. [2] Está escrito no livro do Genesis: “Nessa mesma ocasião o SENHOR Deus fez uma aliança com Abrão. Ele disse: ‘Prometo dar aos seus descendentes esta terra, desde a fronteira com o Egito até o rio Eufrates, incluindo as terras dos queneus, dos quenezeus, dos cadmoneus, dos heteus, dos perizeus, dos refains, dos amorreus, dos cananeus, dos girgaseus e dos jebuseus.’” (Gênesis 15:18-21, NTLH.) [3]

 

E Moisés deixou escrito em nome de Deus: “O meu anjo irá adiante de vocês e os levará até a terra dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus. E eu destruirei todos esses povos.” (Êxodo 19.23, NTLH.) [4] “Farei com que os povos que são contra vocês tenham medo de mim. Farei com que haja confusão entre os povos contra quem vocês vão lutar e farei com que os inimigos fujam de vocês. Farei com que os seus inimigos fiquem apavorados. E, quando vocês forem avançando, eu expulsarei os heveus, os cananeus e os heteus. Não os expulsarei num ano só; se eu fizesse isso, a terra ficaria deserta, e os animais selvagens se tornariam numerosos demais, prejudicando vocês. Pelo contrário, eu expulsarei esses povos pouco a pouco, até que vocês se tornem mais numerosos e tomem posse da terra. Farei com que os limites da terra de vocês vão desde o golfo de Ácaba até o rio Eufrates e do mar Mediterrâneo até o deserto. Eu lhes darei poder para dominarem os povos daquelas terras, e vocês irão avançando e os expulsando. Não façam nenhum acordo com eles, nem com os seus deuses. Não deixem que esses povos vivam na terra de vocês.” (Êxodo 23.27-33a, NTLH.) [5] “Quando estávamos ao pé do monte Sinai, o SENHOR, nosso Deus, nos falou assim: ‘Vocês já ficaram bastante tempo neste lugar. Agora saiam daqui e vão caminhando na direção da região montanhosa dos amorreus e de todas as regiões vizinhas no vale do rio Jordão, e na direção das montanhas, da planície de Judá, da região sul e da costa do mar Mediterrâneo. Tomem posse de toda a terra de Canaã até os montes Líbanos, no Norte, e até o grande rio Eufrates, no Leste. Aí está a terra que eu estou dando a vocês. Eu, o SENHOR, jurei a Abraão, a Isaque e a Jacó, os antepassados de vocês, que daria essa terra a eles e aos seus descendentes. Portanto, vão e tomem posse dela.’” (Deuteronômio 1.6-8, NTLH.) [6] “Será de vocês toda a terra por onde andarem, desde o deserto, no Sul, até os montes Líbanos, no Norte; desde o rio Eufrates, no Leste, até o mar Mediterrâneo, no Oeste.” (Deuteronômio 11.24, NTLH.) [7]

 

“Quando entrarem em Canaã, a terra que estou dando a vocês, as fronteiras serão estas:

 

    A fronteira do Sul irá desde o deserto de Zim ao longo da fronteira de Edom. No Leste ela começará na ponta sul do mar Morto. Depois voltará para o sul, na direção da subida de Acrabim, e passará por Zim até chegar a Cades-Barnéia. Em seguida passará por Hazar-Adar até chegar a Azmom e de Azmom até o ribeirão que faz fronteira com o Egito e terminará no mar Mediterrâneo.

    A fronteira do Oeste será o mar Mediterrâneo.

    A fronteira do Norte irá desde o mar Mediterrâneo até o monte Hor e dali até a subida de Hamate e depois até Zedade. De Zedade, essa fronteira do Norte seguirá até Zifrom e acabará em Hazar-Enã.

    A fronteira do Leste irá desde Hazar-Enã até Sefã e de Sefã até Ribla, que fica a leste de Aim. Dali a fronteira descerá pelo leste do lago da Galiléia e seguirá pelo rio Jordão até terminar no mar Morto.

 

Essas serão as quatro fronteiras do país de vocês.” (Números 34.2-12, NTLH. Grifos e marcadores meus.) [8]

 

No livro do profeta Ezequiel 47.13-20, também se encontra os limites dessa terra. [9]

 

É interessante observar que nem Números e nem Ezequiel falam do rio Eufrates como o limite norte, enquanto Gênesis, Êxodo e Deuteronômio dizem que a fronteira norte é o rio Eufrates. Eis aqui mais uma divergência bíblica entre livros, um verdadeiro estopim para acender guerras. Será que o Deus imutável mudou a fronteira do norte? E o rei Salomão? Ele obedeceu ou desobedeceu às palavras de Deus quando dominou desde o rio Eufrates até a terra dos filisteus (Gaza) e até a fronteira do Egito? (2 Crônicas 9.26; 1 Reis 4.24.) [10]

 

Baseados nessas palavras deixadas por Moisés, com muita fé e coragem, os hebreus partiram para as guerras de conquistas e expansões. E acabaram conquistando terras além dos limites estabelecidos. As tribos de Gade e de Rúben e a meia tribo de Manassés ocuparam terras a leste do rio Jordão. (Números 32.33.) [11] Essas terras foram dos Amorreus do reino de Seom e do reino de Basã, que eles haviam conquistado. (Números 21.21-32; Deuteronômio 2.26-35; Números 21.33-35) [12], [13] Por isso, hoje, Israel não aceita a existência do Estado da Palestina, do lado oeste do rio Jordão, quer a faixa de Gaza e é inimigo do Líbano e da Síria, que ocupam terras que a Bíblia, ou melhor, o Tanakh, diz que são deles. [14], [15] E assim, com esse irredentismo, guerras, com pano de fundo religioso, não cessam no Oriente Médio.

 

 

Guerras em que os hebreus lutaram para dominarem

Vítimas

Consequências desastrosas provocadas pelos hebreus

Citação bíblica

1.     Habitantes da cidade de Jericó.

Mortes de homens, mulheres, meninos, velhos, bois, ovelhas e jumentos dos moradores de Jericó. Incêndio dessa cidade e saque da prata, do ouro e dos utensílios de bronze e de ferro de seus habitantes para serem oferecidos a Deus.

(Josué 6.) [16]

2.     Moradores da cidade de Ai.

Incêndio de Ai, 12 mil mortos, saque do gado e de outros objetos de valor e o enforcamento do rei de lá.

(Josué 8.1-29.) [17]

3.     População da cidade de Maquedá.

Morte de todos os moradores dessa cidade.

(Josué  10.28.) [18]

4.     Cidadãos da cidade de Libna.

Morte de todos os moradores dessa cidade.

(Josué 10.29-30.) [19]

5.     Habitantes da cidade de Laquis e de Gezer.

Morte de todos os moradores dessas cidades.

(Josué 10.31-33.) [20]

6.     Moradores da cidade de Eglom.

Morte de todos os moradores dessa cidade.

(Josué 10.34-35.) [21]

7.     População da cidade de Hebrom e de outras cidades próximas.

Morte de todos os moradores dessas cidades.

(Josué 10.36-37 [22]

8.     Habitantes da cidade de Debir e de outras cidades próximas.

Morte de todos os moradores dessas cidades.

Josué 10.38-39.) [23]

9.     Cananeus e ferizeus.

Cerca de 10 mil mortos.

(Juizes 1.4.) [24]

10.  Cidadãos de Jerusalém.

Morte dos moradores e incêndio da cidade.

(Juízes 1.8.) [25]

11.  Cananeus que moravam nas montanhas, no deserto do sul e nas planícies de Judá.

Não informadas.

(Juízes 1.9.) [26]

12.  Cananeus de Hebrom.

Não informadas.

(Juízes 1.10.) [27]

13.  Habitantes da cidade de Debir.

Não informadas.

(Juízes 1.11-13.)  [28]

14.  Cananeus da cidade de Zefate.

Destruição total da cidade.

(Juízes 1.17.) [29]

15.  Gaza, Asquelom e Ecrom e arredores.

Não informadas.

(Juízes 1.18.) [30]

16.  Habitantes de Betel (Luz).

Morte de todos os moradores com exceção da família de um homem que indicou o caminho para os hebreus.

(Juízes 1.22-25.) [31]

17.  Filisteus.

Sujeição desse povo pelo rei Davi.

(2 Samuel 8.1; 1 Crônicas 18.1.) [32]

18.  Moabitas.

Dois terços desses foram mortos, e o restante foi escravizado pelo rei Davi, e tiveram que pagar tributos para ele.

(2 Samuel 8.2;1 Crônicas 18.2.) [33]

19.  Reino de Zobá e sírios.

Prisão de 1.700 cavaleiros, 20 mil soldados de infantaria, aleijamento de cavalos, morte de 22 mil sírios que tentaram ajudar o exército do rei de Zobá, dominação dos sírios com pagamento de impostos, saque de alguns objetos de ouro e bronze.

(2 Samuel 8.3-8, 1 Crônicas 18.3-4.) [34]

20.  Sírios de Damasco.

Morte de 22 mil homens e escravização desse povo que passou a pagar tributos para Davi.

(2 Samuel 8.4-5, 1Crônicas 18.5-6.) [35]

21.  Edomitas.

Morte de 18 mil pessoas desse povo.

(2 Samuel 8.13.) [36]

22.  Amonitas.

Número indefinido de mortes, saques e trabalhos forçados desse povo.

(2 Samuel 11.1; 1 Crônicas 20.1-3.) [37]

23.  Moabitas.

Número indefinido de mortes, colocação de pedras nas plantações moabitas, bloqueio de fontes, corte de árvores frutíferas desse povo.

(2 Reis 3.) [38]

24.  Edomitas outra vez.

Não informadas.

(2 Reis 8.20-22;  2 Crônicas 21.8-10.) [39]

25.  Edomitas novamente.

10 mil edomitas foram mortos no Vale do Sal e outros 10 mil foram mortos lançados de um penhasco.

(2 Reis 14.7, 2 Crônicas 25.11-12.) [40]

26.  Filisteus, árabes, meumitas, amonitas

Derrubada de três muros de cidades dos filisteus, edificação de cidades entre esse povo e cobrança de tributos dos amonitas, etc.

 

(2 Crônicas 26.6-8.) [41]

27.  Amonitas contra o reino de Judá.

Durante três anos, os amonitas foram obrigados a dar três mil e quatrocentos quilos de prata, mil toneladas de trigo e mil toneladas de cevada para o reino de Judá.

(2 Crônicas 27.5.) [42]

 

Uma das doutrinas sobre Deus é que ele é imutável. [43] Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. De acordo com o profeta Malaquias, Deus, o Senhor, na muda. (Malaquias 3.6.) [44] Sendo assim, considerando a crença de que Deus ordenou que um povo (os hebreus) massacrasse outros povos, então, algum louco poderá achar que, ainda hoje, Deus pode mandar uma nação fazer o mesmo nos dias atuais.

 

Deus nos livre dessas loucas crenças religiosas! Ainda bem que Jesus nos apresentou um Deus bem diferente da visão dos hebreus. Deus mudou? Não! Mas o entendimento sobre Deus e a novas crenças mudaram com ele. Hoje podemos anunciar, em todo o mundo, o reino de Deus, que não é desse mundo, em vez de impor um reino teocrático em detrimento de outros povos e culturas.

 

Continuaremos no próximo post

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br