Translate, traduzir

Imposição religiosa

Livres dos Fardos Religiosos

 

Nabucodonosor II, rei da Babilônia no século VII a. C., mandou fazer uma estátua de ouro que media vinte e sete metros de altura por dois metros e setenta de largura. (Bastante alta.)  Em seguida, ordenou que todas as autoridades viessem à cerimônia de sua inauguração. Na cerimônia, foi ordenado que todas as pessoas se ajoelhassem e adorassem a estátua, caso contrário, elas seriam jogadas numa fornalha acesa. Os judeus Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, seguidores da religião judaica, não quiseram adorar a estátua de ouro. Por causa disso, a imposição religiosa do rei fez com que eles fossem jogados numa fornalha acesa. Felizmente eles se salvaram, milagrosamente. (Daniel 3.) [1]

 

 

image

Descrição: A grande estátua de Nabucodonosor. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

Imposição religiosa é o ato de impor elementos religiosos. É o comportamento de muitos líderes e instituições que procuram impor uma religião sem se importarem com a liberdade religiosa, liberdade de pensamento e de crença dos outros. Foi o que fez Nabucodonosor.

 

Há muitos exemplos de imposições religiosas ao longo da história. Vamos ver alguns exemplos.

 

No século IV a.C., o filósofo Sócrates foi acusado de desprezar a religião de sua nação e de criar novas crenças. Por causa disso, ele foi condenado à morte por envenenamento com cicuta, nome comum de algumas plantas venenosas. Um de seus acusadores disse: "...Sócrates é culpado do crime de não reconhecer os deuses reconhecidos pelo Estado e de introduzir divindades novas... Castigo pedido: a morte" [2], [3]

 

No fim do século IV, quando o imperador Teodósio I do Império Romano fez do cristianismo a religião oficial do império, as demais religiões foram perseguidas. Os líderes cristãos que estavam ao lado do imperador romano fizeram valer as suas crenças. A posição doutrinária desse grupo se tornou obrigatória. Qualquer doutrina diferente foi condenada, e os seus representantes foram perseguidos de alguma forma. A Igreja resolveu seguir o caminho do autoritarismo e impôs as suas crenças, os seus dogmas, os seus rituais e os seus preceitos. Veja um trecho de Édito de Tessalônica, decretado pelo imperador romano Teodósio I no ano 380: “Isto é, segundo a doutrina apostólica e a doutrina evangélica cremos na divindade única do Pai, do Filho e do Espírito Santo sob o conceito de igual majestade e da piedosa Trindade. Ordenamos que tenham o nome de cristãos católicos quem segue esta norma, enquanto os demais os julgamos dementes e loucos sobre os quais pesará a infâmia da heresia. Os seus locais de reunião não receberão o nome de igrejas e serão objeto, primeiro da vingança divina, e depois serão castigados pela nossa própria iniciativa que adotaremos seguindo a vontade celestial." [4]

 

Alguns anos depois, através da Inquisição, torturas, prisões, penas de morte e confiscos de bens foram usados para abrigarem a população a aceitar o catolicismo sem nenhuma contestação. O tribunal da Inquisição foi um dos maiores instrumentos autoritários da história religiosa. [5], [6], [7], [8], [9], [10], [11], [12]

 

No final da Idade Média, na Europa, muitos judeus foram forçados a se converterem ao catolicismo. Eram chamados de cristãos novos, cripto-judeus e, pejorativamente, de marranos. [13], [14], [15], [16] Mas na língua hebraica, eles foram chamados de anusim, isto é: forçados. [17]

 

A humanidade sofreu e sofre vendo grandes verdades que o autoritarismo religioso tenta encobrir. Muitos tentaram provar que certas doutrinas estão erradas, mas foram taxados de hereges, sofreram preconceitos, foram discriminados, excomungados e condenados. Tudo isso porque questionaram os dogmas impostos pelos líderes religiosos.

 

A liberdade religiosa tem que prevalecer. Todos nós devemos ter a liberdade para divulgar os nossos elementos religiosos. Mas ninguém tem o direito de impor qualquer religião. Ninguém pode exigir, através de quaisquer meios constrangedores, que os outros sigam a sua religião. Não queremos novos “nabucodonosores”.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br