Translate, traduzir

Comunidades religiosas

Livres dos Fardos Religiosos

 

Jesus, quando iniciou a pregação da sua mensagem, ele formou uma pequena comunidade com doze pessoas, conhecidas como apóstolos. Simão Pedro, Tiago, filho de Zebedeu, João, irmão de Tiago, André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o cananeu e Judas Iscariotes, juntamente com Jesus, formaram a primeira comunidade cristã. (Marcos 3.13-19.) [1]

 

 

image

Desc.: Representação da Última Ceia na Terra Santa Parque.  Data: 14/06/2009. Autor: Roberto Ettore. Fonte. Licença CC BY.

 

Comunidade religiosa é um grupo de pessoas que compartilham as mesmas crenças e os mesmos ideais dentro de alguma religião, como Jesus e os doze discípulos.

 

A igreja de Jesus, entendida como uma assembléia, não é, todavia, uma mera reunião de pessoas carregada de formalidades, mas, no sentido lato ou amplo, é uma comunidade de pessoas de todas as idades em qualquer lugar. A igreja, do termo grego ekklesia, significa chamados para fora. Ek significa para fora e klesia quer dizer chamados. Então a igreja de Jesus é um conjunto de pessoas que foram chamadas para saírem das velhas tradições, do pecado e de todo mal para uma nova vida. [2], [3] Mas ao contrário, em muitas igrejas institucionalizadas, as pessoas estão sendo chamadas para dentro dos templos, voltando às velhas tradições judaicas e até pagãs.

 

É bom deixar bem claro que, de acordo com o evangelho original, a igreja de Jesus não é uma seita fechada, reclusa, mas uma grupo de pessoas livres, fora dos sistemas religiosos tradicionais. Nesse sentido, alguns preferem dizer que o evangelho de Jesus não é uma religião. Mas podemos dizer que é uma religião sim, pois procura unir o ser humano a Deus. Todavia, é uma religião totalmente diferente, fora das antigas tradições. E aquela primeira comunidade dos doze apóstolos foi criada para divulgar esse novo tipo de religião, onde as pessoas possam se livrar de seus fardos religiosos.

 

Comunidades religiosas sempre se formaram. Algumas com ideais bons. Outras, com idéias absurdas. Dentro do cristianismo, foram criadas algumas comunidades contrariando o que Jesus realmente ensinou. Mas também foram formadas boas comunidades. Muitas outras ainda surgirão. Cabe a cada um analisar tudo com bom senso.

 

 Vamos ver alguns exemplos.

 

·       Ordens religiosas. A partir do século IV, várias comunidades cristãs, masculinas ou femininas, surgiram para se dedicarem mais à oração, à penitência, às obras de caridade e à pregação. No Egito, na Palestina, na Anatólia e principalmente na Itália e na França, além de outros lugares, surgiram as diversas ordens religiosas nos conventos e nos mosteiros. Algumas dessas ordens são: Agostinianos, Ordem de São Bento, Dominicanos, Ordem Franciscana, Congregação das Irmãs Clarissas, Ordem das Irmãs Carmelitas Descalças e dezenas de outras. [4], [5], [6]

 

·       Ordens de cavalaria e militares. Surgiram também, na Idade Média, diversas ordens de cavalaria com características militares e ideais religiosos. Esses cavaleiros protegiam os locais sagrados e instituições cristãs. Nessas ordens, havia clérigos para cuidarem dos trabalhos religiosos, irmãos leigos para atuarem como escudeiros e cavaleiros combatentes. Algumas dessas ordens foram: Ordem de Alcântara, Ordem de Avis, Ordem de Cristo, Ordem de Malta, Ordem dos Templários, Ordem Teutônica e muitas outras. [7], [8], [9], [10]

 

·       Flagelantes. Por volta do século XIII, surgiram grupos de flagelantes na Europa. Essas pessoas comungavam um ideal estranho. Saiam pelas ruas em procissão, durante trinta e três dias seguidos e se autoflagelavam com cordas ou cintos de extremidades cortantes. Vestiam túnicas negras e andavam descalços. Oravam e viviam da caridade. Não foram apoiados pela Igreja como as ordens religiosas dos conventos e dos mosteiros e as ordens militares. [11], [12], [13]

 

·       Canudos. No final do século XIX, no Brasil, no Estado da Bahia, Antônio Conselheiro fundou a comunidade de Canudos, uma cidade com cerca de trinta mil habitantes. Essa comunidade não concordava com a República e queria a volta do imperialismo no Brasil. Praticava a religiosidade popular nordestina, mas não teve a aprovação da Igreja Católica. [14]

 

·       A Sociedade dos Amigos (quakers) foi fundada por George Fox na Inglaterra, no século XVII. Após perseguições promovidas pelo rei Carlos II, no final do mesmo século, seus adeptos emigraram para a América, para a colônia da Pensilvânia. Com uma vida simples, sem luxo, sem discriminação, essa comunidade procura viver dentro dos princípios pregados por Jesus. Ali as pessoas procuram ser bondosas, solidárias, sinceras e verdadeiras. São também pacifistas, por isso receberam o Prêmio Nobel da Paz em 1947. [15]

 

·       Amish é uma comunidade religiosa, fundada na Alemanha no século XVII por Jakob Amman. No início do século XVIII, seus adeptos foram para os Estados Unidos, onde passaram a viver isolados da civilização moderna, evitando os equipamentos modernos como automóveis e eletroeletrônicos. Têm uma disciplina rígida e trabalham em atividades agropecuárias. [16]

 

·       Nos Estados Unidos, no século XX, na década de 30, foi formada a seita Ramo Davidiano. O líder dessa seita, através de um incêndio em um rancho no Texas, provocou o suicídio de 80 seguidores. [17]

 

·       Em 1984 foi formada a Ordem do Templo Solar. Membros dessa comunidade cometeram suicídios coletivos. [18]

 

·       Em 1955, o americano Jim Jones criou a seita Templo do Povo, que, mais tarde, foi transferida para a Guiana, onde comandou o suicídio de mais de 900 seguidores em 1978. [19], [20], [21]

 

·       Na Califórnia, no século XX, nos anos 70, surgiu a seita Portão do Céu (Heaven’s Gate). Em 1997, 39 seguidores se suicidaram, acreditando que o cometa Hale-Bopp os levaria para um planeta, onde acreditavam poder alcançar uma forma superior de existência. [22]

 

Hoje em dia, temos comunidades religiosas de vários tipos. Algumas, muito comuns, são os grupos que se dedicam às artes religiosas como música e teatro. Temos ainda aqueles que se dedicam à evangelização e às obras de caridade.

 

 

image

Desc.: Comunidade religiosa. Data: Julho/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Toda pessoa tem direito à liberdade de poder formar uma comunidade religiosa ou participar de alguma já formada que queira aceitar novos membros. No entanto, nenhuma comunidade pode exigir que os outros se associem ou a permaneçam associados a ela. Também nenhuma pode realizar coisas que prejudiquem os outros e o meio ambiente. [23]

 

Ninguém precisa participar dessa ou daquela comunidade para ser uma pessoa de Deus. Todavia a criação de comunidades religiosas é muito importante, pois através da união de várias pessoas, fica mais fácil colocar em prática os ideais comuns. Unidos podemos ir mais longe. Entretanto temos que tomar cuidado. Nem toda comunidade religiosa tem ideais bons. Os ideais de muitos grupos não edificam e não trazem benefícios concretos. Alguns inclusive são bastante nocivos, como os grupos de terroristas de caráter religioso. Não apóie e nem crie comunidades desse tipo. Vamos promover grupos, onde unidos possamos promover ideais de paz, amor, solidariedade e outras virtudes.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br



[10] Ordens de cavalaria - Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.