Nepotismo religioso

Livres dos Fardos Religiosos

 

Você já observou que alguns líderes religiosos costumam ter parentes na administração da igreja ou religião, assim como alguns líderes políticos têm colocado pessoas da sua família na administração pública? Vamos falar um pouco sobre isso.

 

Napoleão Bonaparte foi um militar destacado. Foi tenente-coronel da Guarda Nacional da Revolução Francesa. Depois se tornou chefe de artilharia do exército. Em seguida, foi promovido a general de brigada. Foi também escolhido para ser o comandante do exército francês na Itália. Em 1799, promoveu um golpe de Estado, instalando, na França, um novo sistema de governo, tornando-se cônsul.  Em 1804, foi proclamado imperador. Com as guerras que travou com os países da Europa, a França acabou expandindo as suas influências e o seu território. [1], [2]

 

 

clip_image002

Descrição: Napoleão Bonaparte. Data: 1805. Autor: Jacques-Louis David (1748–1825). Reprodução: The Yorck Project. Fonte e licença DP.

 

clip_image004

Descrição: José Bonaparte. Data: 1808. Autor: Jean-Baptiste Wicar (1762–1834). Reprodução: Own work, Bjoertvedt. Data: 24/11/2010. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Como podemos ver, Napoleão conseguiu chegar ao auge do poder. Então, aproveitou para favorecer os seus parentes. [3]

 

·       Jose Bonaparte, o seu irmão mais velho, foi nomeado para ser o rei de Nápoles e depois da Espanha. [4]

·       Luciano Bonaparte, outro irmão, foi indicado para ser ministro do Interior e embaixador em Madri. [5]

·       O outro irmão, Luís Bonaparte, foi colocado como rei da Holanda. [6]

·       Jerônimo Bonaparte, o caçula da família, foi escolhido para ser o rei da Vestfália. [7]

 

Nepotismo é a palavra usada para indicar o favorecimento que as pessoas que estão no poder prestam aos seus parentes. No nepotismo, as pessoas qualificadas e que não são parentes são deixadas de lado, enquanto os parentes, até mesmo aqueles que não são aptos para certas funções, acabam sendo beneficiados com cargos e salários bons, além de outros privilégios. [8] Em latim, o neto ou descendente é chamado de nepos. O sobrinho do papa era chamado de nepote. Assim surgiu o termo nepotismo para designar a nomeação de parentes para ocuparem cargos na igreja ou na administração pública. [9]

 

Vamos ver alguns exemplos de nepotismo religioso.

 

Quando o povo de Israel estava no deserto do Sinai, Moisés subiu ao monte para buscar a Deus e demorou muito lá em cima. O povo ficou impaciente e não quis mais saber do Deus de Moisés. Mandou Arão, irmão de Moisés, fazer um bezerro de ouro fundido para ir à frente deles.

 

clip_image006

Descrição: Papa Paulo III com o seu cardeal sobrinho Alessandro Farnese (esquerda) e sobrinho-neto, Ottavio Farnese (duque de Parma) (direita)  Data: 1546. Autor: Ticiano (1490–1576) Reprodução: O projeto de Yorck: 10000 Meisterwerke der Malerei DVD-ROM, 2002. ISBN 3936122202 . Distribuído por Direct Media Publishing GmbH. Fonte e licença DP.

 

Arão pegou os brincos de ouro do povo, derreteu-os e derramou o ouro fundido num molde e fez um bezerro de ouro. Fez também um altar e, no dia seguinte, fizeram uma festa, onde houve holocaustos, ofertas pacíficas, comida, bebida e folgança.

 

Quando Moisés se aproximou do povo, após descer do monte, ficou furioso. Queimou o bezerro, moeu-o, colocou o pó dele na água e fez o povo beber. Disse também para quem estivesse ao lado do Senhor para pegar sua espada e praticar a pena de morte, matando irmão, amigo e vizinho, por causa do mal que fizeram. Mas Arão, irmão de Moisés, o primeiro sumo sacerdote de Israel, o fabricante do bezerro, não foi punido. (Confira Êxodo 32.) [10] Ele morreu mais tarde no monte Hor. E o motivo da sua morte foi outro. (Números 20.27-29.) [11] Será que Arão, escolhido para ser o sumo sacerdote, não foi punido porque foi favorecido por ser irmão do líder Moisés? Ele foi privilegiado por isso?

 

Veja alguns casos de nepotismo na Igreja.

 

·        No início do século X, o filho de Marózia, a mulher do papa Sérgio III, com apenas 21 anos de idade, tornou-se o papa João XI e reinou quatro anos. Há certos documentos dizendo que ele era filho de Alberico I de Espoleto com Marózia. Outros, como o Líber Pontificalis, afirmam que era filho do papa Sérgio III com a mesma mulher.[12] O certo é que ele, filho da mulher do papa Sérgio III, também chegou ao papado mesmo sendo jovem, graças ao nepotismo que rondava por lá.

 

·        Em meados do mesmo século, com apenas 18 anos, João XII tornou-se papa por causa das influências do seu pai. [13] (Já pensou um garotão desse desembarcando de um avião para mais uma Jornada da Juventude?)

 

·        No século XI, o imperador germânico Henrique III colocou o seu primo Bruno no papado com o nome de Leão IX. [14]

 

·        Entre os séculos XIII e XVI, o nepotismo era algo muito comum. Veja a lista de alguns papas acusados de nepotismo.

 

Papas acusados de nepotismo

Nicolau III

1277-1280 [15]

Bonifácio VIII

1294-1303 [16]

Clemente VI

1342-1352 [17]

Gregório XI

1370-1378 [18]

Bonifácio IX

1389-1404 [19]

Inocêncio VII

1404-1406[20]

Calisto III

1455-1458 [21]

Pio II

1458-1464 [22]

Martinho V

1417-1431 [23]

Sisto IV

1471-1484 [24]

Alexandre VI

1492-1503 [25]

Júlio II

1503-1513 [26]

Júlio III

1550-1555 [27]

Paulo V

1605-1621 [28]

Gregório XV

1621-1623 [29]

Urbano VIII

1623-1644 [30]

Alexandre VII

1655-1667 [31]

Descrição: Papas acusados de nepotismo. Data: julho/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

   

 

·        Durante cerca de sete séculos, entre a Idade Média e a Idade Moderna, tornou-se comum o papa nomear parentes, principalmente sobrinhos, além de outros parentes, para serem cardeais. Como os papas geralmente não tinham filhos, nomeavam seus sobrinhos.  Por causa disso, eles ficaram conhecidos como cardeais-sobrinhos. [32] Alguns até conseguiram ocupar o trono papal e, por isso, ainda viraram santos. Por exemplo:

 

Época

Papa

Papa parente

Grau de parentesco

1024-1032

João XIX

Bento VIII

Irmão

1012-1020

Bento IX

Bento VIII

Sobrinho

1227-1241

Gregório IX

Inocêncio III.

Primo

1254-1261

Alexandre IV

Gregório IX

Sobrinho

1276

Adriano V

Inocêncio IV

Sobrinho

1431-1447

Eugênio IV

Gregório XII

Sobrinho

1458-1464

Paulo II

Eugênio IV

Sobrinho

1492-1503

Alexandre VI

Calisto III

Sobrinho

1503

Pio III

Pio II

Sobrinho

1503-1513

Júlio II

Sisto IV

Sobrinho

1513-1521

Leão X

Inocêncio VIII

Familiar

1523-1534

Clemente VII

Leão X

Primo

1724-1730

Bento XIII

Clemente X

Familiar

1829-1830

Pio VII

Pio VII

Familiar

[33] Descrição: Papas acusados de oferecer uma vaga de cardeal para os seus parentes. Data: julho/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

A lista de cardeais-sobrinhos é enorme, com centenas de nomes. [34], [35]  Veja algumas nomeações.

 

·       O papa Clemente V (1305–1314) nomeou pelo menos nove parentes.

·       João XII (1316-1334) pelo menos sete.

·       Clemente VI (1342-1352) cerca de onze.

·       Urbano VI (1378-1389) uns sete.

·       Alexandre VII da família dos Bórgias (1492-1503) uns dez.

·       João XIX colocou o seu sobrinho Bento IX em seu lugar com apenas 20 anos. Alguns acham que foi com 12 anos. Foi mais um papa novo da história. Esse, com a sua imaturidade, “pintou o sete”. Foi acusado de "múltiplos e vis adultérios e assassinatos". [36], [37]

 

São muitos e muitos outros casos. A igreja, mais uma vez, seguiu as tradições pagãs, onde o rei passava o cargo para o filho ou para algum outro membro da família, no caso de não ter filho. Como papa não tinha filhos (se bem que alguns tiveram) eles escolhiam principalmente sobrinhos para ocuparem cargos importantes, incluindo, é claro, o trono pontifical.

 

Mas do lado protestante e evangélico também encontramos isso. Dizem que para ser pastor a pessoa precisa receber o dom de Deus. Mas parece que muitos se tornam pastores simplesmente por causa do nepotismo. Por que será que, em muitas igrejas simples e pobres, os parentes dos pastores dificilmente viram pastores, enquanto que, nas grandes igrejas, parentes próximos tornam-se pastores também? Não podemos generalizar, mas muitos dão a impressão de que estão sendo beneficiados. Igreja pobre, ninguém interessa. Mas aquelas grandes estruturas eclesiásticas lucrativas e honrosas não faltam candidatos dentro da família do pastor titular.

 

O evangelho de Jesus não é um negócio para se obter lucros materiais. Mas com a corrupção infiltrada na Igreja, muitas tarefas religiosas se tornaram lucrativas. Por causa disso, quem está com o poder religioso nas mãos acaba procurando favorecer os seus parentes mais chegados.

 

Todo mundo gosta de ajudar seus parentes. Mas a religião não é lugar de privilégios desse tipo. Por isso, devemos acabar com qualquer nepotismo religioso. Para ser alguma coisa no meio religioso, a pessoa tem que ter vocação e capacidade. Ela não pode simplesmente ser indicada por algum parente que desfruta de alguma posição privilegiada.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br