Exploração religiosa (parte IV)

Livres dos Fardos Religiosos

 

Continuação do post anterior.

 

A exploração, usando o nome de Jesus Cristo, mas em desacordo com o que ele realmente ensinou, acontece por todos os lados, em muitas igrejas, através de alguns líderes estranhos. Veja mais alguns exemplos.

 

Exploração dos erros alheios. Muitos produtores de mídias religiosas encontraram um meio de ganhar muito dinheiro, procurando divulgar as falhas dos famosos do meio religioso. Esses criticam os falsos profetas, as falsas doutrinas e tantos pecados, mas adoram ganhar dinheiro em cima de tudo isso. Na verdade, eles criticam, mas no fundo, não gostariam de ver o fim dessas coisas erradas. Tudo é fonte de dinheiro para eles.

 

 

image

Descrição: Exploração dos erros alheios. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Venda indireta de bênçãos. Alguns pregadores estão dizendo que se uma pessoa necessita de uma bênção, então ela precisa plantar uma semente. E a semente é uma boa oferta financeira. Assim, muitos pregadores espertos e até mesmos os honestos, mas ingênuos, acabam, dessa forma, vendendo a graça de Deus de forma indireta. A obra de Deus precisa de recursos financeiros, mas as pessoas precisam aprender a doar por amor e não ficar fazendo barganhas com Deus por intermédio de líderes religiosos.

 

 

image

Descrição: Venda indireta de bênçãos. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Comércio de pregações. Vários pregadores estão cobrando altos preços para pregarem em igrejas e em eventos especiais. Alguns querem hotel da melhor qualidade, inclusive aqueles com cinco estrelas. Quanto mais famosos se tornam, mais caros eles cobram. Não é errado eles receberem ajuda numa viagem missionária. Mas muitos vão longe, por um alto preço, para pregarem alguma mensagem, e muitos até aproveitam para venderem seus produtos e serviços. Certa igreja quis contratar certo pregador para pregar num congresso. Quando entraram em contato com a sua secretária para saber quais as condições para contratá-lo, ela respondeu que não era muita coisa: cobrava “apenas” 5 mil mais a passagem e o hotel. Vi um pastor acusando o outro de cobrar 15 mil para pregar numa conferência. Como podemos ver por ai, pregar virou negócio. Estão superfaturando com pregações. São sofistas modernos rotulados de cristãos. Primeiro porque o sermão cheio de retórica foi inventado pelos sofistas gregos no século V a.C. Segundo porque cobram para pregar, assim como os sofistas cobravam para proferir seus discursos. [1] Se Jesus fosse esses pregadores modernos, ele não precisaria ter dito que não tinha onde reclinar a cabeça. [2] Sua secretária teria combinado a melhor hospedagem nas cidades por onde ele andou pregando.

 

 

image

Descrição: Comércio de pregações. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Cargos políticos. Muitos pastores estão deixando o seu ministério para atuarem na área política. Fazem isso porque vêem nos membros de sua igreja uma oportunidade de ganhar bastantes votos. Muitos nem possuem vocação política, mas não querem perder a oportunidade. Elegem-se com facilidade dentro dos seus currais e saem para os palácios, onde ganham altos salários e muitos nem se preocupam em defender os menos favorecidos. Alguns ainda entram pelas veredas da corrupção. Na bancada evangélica, muitas vezes, em vão e gélida, desonram o Rei dos reis.

 

 

image

Descrição: Política gospel. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Pastores vendedores. Não é errado o cristão vender coisas. Mas o pastor não foi chamado para ser vendedor “nos pátios” e nos púlpitos das igrejas. Ele deve ser um pregador, e pode até ser digno de seu salário. Ele tem todo direito de receber ofertas dos cristãos para poder se manter no seu ministério, dependendo do tempo que gasta com isso. Todavia, muitos não estão se contentando com o que ganham e resolveram transformar o púlpito num ponto de vendas. E claro que eles não podem sair por ai doando livros, CDs e DVDs. Muitas coisas têm que ser vendidas. Mas podem muito bem deixar de vender essas coisas nos púlpitos e nos programas de evangelização. Um pastor famoso brasileiro, que está há muito tempo na mídia, alegou que não recebe salário. Segundo ele, com uma venda de um milhão de livros e 300 mil DVDs com mensagens, em média, por ano, ele não precisa ser remunerado. Está claro que o uso dos “pátios dos templos” tem rendido uma excelente venda de produtos gospel.

 

 

image

Descrição: Pastor vendedor. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Venda de Bíblias temáticas. Os pastores vivem alardeando que não pode acrescentar nada à Bíblia Sagrada. Mas muitos estão criando suas Bíblias temáticas. São Bíblias com acréscimo de notas nas laterais e no rodapé das páginas, além de acréscimo de páginas de doutrinas, comentários diversos. Temos Bíblia sobre finanças, para mulher, para homem, da oração, etc.

 

 

image

Descrição: Bíblia Temática. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Não acabou: ainda vemos mais coisas por ai.

 

Continuaremos no próximo post.

                                           

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br