Estelionato religioso

Livres dos Fardos Religiosos

 

Conto do vigário é o termo utilizado para nomear aquela mentira artificiosa, utilizada por alguns, para enganar os outros, a fim de levar alguma vantagem. [1], [2] Foi daí que surgiu a palavra vigarista. [3]

 

 

image

Desc.: Estelionato gospel. Data: Agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.  

Ninguém sabe exatamente como surgiu a expressão conto do vigário. São contadas várias historinhas envolvendo padres, que muitas vezes são chamados de vigários, metidos em algum estratagema pra conseguir alguma coisa. [4], [5]

 

Estelionato religioso é o ato de obter vantagens, causando prejuízos à outra pessoa através da religião, com o intuito de enganá-la, fazendo com que ela erre ou que permaneça no erro.

 

O ambiente religioso é o lugar onde mais encontramos estelionatos que, na maioria das vezes, passam despercebidos, por causa da fé e das crendices das pessoas. Em nome da fé, muitos estão, como diz o brasileiro, “deitando e rolando”.

 

Não podemos generalizar, pois nem todos os vigários são vigaristas. Além disso, encontramos vigaristas noutras igrejas também. Felizmente também não são todos. Mas do jeito que as coisas andam, é preciso criar mais um sinônimo para essa expressão como, por exemplo, conto do pastor, conto do apóstolo, conto do missionário, conto do reverendo. Tem muitos líderes religiosos falsos por ai fazendo de tudo para conseguirem dinheiro e outras vantagens do povo.

 

Outro dia, vi o anúncio de uma corrente, onde a pessoa é convidada a participar e ter seu patrimônio multiplicado em um ano. A promessa é ousada mesmo. Afirma os patrocinadores da corrente que alguns poderão conseguir ter o seu patrimônio multiplicado 30, ou 60, ou até 100 vezes mais. Alguns não conseguirão tanto, mas conseguirão, no mínimo, dobrar o seu patrimônio.  Que pregadores espertos! Como podem prometer bênçãos aleatoriamente com data marcada e quantidade mínima? Afirmam ainda que Jesus colocou dentro do menor dos homens o poder de dobrar tudo em um ano. Citam como prova a parábola dos talentos. (Mateus 25.14-30.) [6] É claro que, na parábola, Jesus não promete nada disso. Foi apenas mais uma artimanha do pragmatismo gospel. Mas não importa. A maioria não vai conferir mesmo. E quem não estiver vacinado pra valer, vai ler e reler, e mesmo sem entender nada, vai acabar “engolindo” mais uma. E se não dobrar nada, como sempre, “eles não terão culpa”. Dirão que foi a pessoa que não creu direito. (Que ironia!) Você continuará do mesmo jeito ou pior. E eles já estarão com o seu dinheiro.

 

Jesus não fazia nada para levar vantagem própria. Quando curava as pessoas, ele fazia isso por causa da sua bondade, do seu amor, da sua misericórdia. Nem a glória ele quis por causa dos seus milagres. Por isso, mandou aqueles que haviam recebido milagres ficarem calados. (Mateus 8,1-4; 9.27-30; 12.9-16; Lucas 8.40-56.) [7] Jesus nunca fez uma campanha financeira. Antes que alguém diga que ele tinha dinheiro, pois Judas era o tesoureiro do grupo (João 12:6.) digo que receber ajuda das pessoas para a obra de Deus não é o problema. [8]  Jesus não condenou isso. O problema é buscar ajuda através de estelionatos e extorsões e usar o dinheiro para bancar o luxo e mais luxo. Não vemos Jesus arrecadando nenhum dinheiro das pessoas através desses meios sujos. Também não o vemos ostentando nenhum luxo à custa do povo.

 

Muitos pregadores, principalmente os da teologia da prosperidade, para conseguirem arrancar dinheiro do povo, adoram ficar citando 2 Coríntios 9.6-11, onde está escrito o que chamam de “a lei da semeadura”. [9] Como já dissemos em outra mensagem, as palavras de Paulo nessa passagem são muito bonitas e encorajadoras. Mas o que muitos não dizem é que ele estava pedindo ajuda para os pobres da Judéia. Basta ler o contexto no capítulo 8 do mesmo livro. Sem ler esse capítulo, até parece que Paulo pedia dinheiro como eles. Mas ele não estava pedindo dinheiro para nenhum império religioso particular para gastar com um monte de coisas que não têm nada a ver com o evangelho puro e assistencial. Ele pedia ajuda para dar assistência aos pobres. Então, a lei da semeadura que Paulo ensinava era essa: você ajuda o próximo necessitado, e Deus multiplica as coisas para você. É como uma semente que você joga na terra, e ela nasce, cresce e produz muitas outras sementes. Usar esse texto para pedir dinheiro para qualquer coisa não vale. É como jogar sementes em qualquer lugar. Terra seca, sem fertilidade e com muitas ervas daninhas não produz nada.

 

Esse é um dos estratagemas: dizer versículos sem o contexto e sem a devida explicação. Se estivessem arrecadando dinheiro para socorrer as vítimas das enchentes, os famintos da África, os desabrigados e outras pessoas carentes, eu ficaria calado e certamente daria a minha contribuição. Mas eles estão arrecadando para os seus ministérios opulentos.

 

Enquanto alguns andam a pé, eles andam de carro do ano e importado e até de avião próprio.

Enquanto alguns sofrem nos barracos e nos barrancos, eles estão em suas grandes mansões de luxo. Vestem os melhores ternos, hospedam nos melhores hotéis, comem a melhor comida. A consciência deles não dói. Afinal, como eles dizem: “O melhor desta terra é meu”, lembrando Isaías 1:19. [10] Por acaso eles são pobres necessitando de ajuda? Não! Claro que não! Então não é essa a terra que Paulo mandou semear. “Ah, mas eles pedem para cobrirem as despesas da obra de Deus”­­ – dirão alguns. Mas será que a obra de Deus é feita desse jeito, com um pragmatismo sem limites, a ponto de aceitarem até o estelionato como uma estratégia?

 

Quem lê os evangelhos e as cartas dos apóstolos com atenção não fica surpreso, pois já foi dito que eles viriam. O problema é que muitos não acreditam que dentro de uma pele de cordeiro possa mesmo ter um lobo devorador. Mas o Mestre disse que seria assim. Ou você está pensando que os falsos iriam pegar dinheiro do povo usando algum ato de violência? Claro que não! A violência é usada no meio secular. No curral das ovelhas, o lobo esperto se veste de ovelha e se infiltra no meio delas. (Mateus 7:15.) [11] Esse é o ardil mais comum no redil eclesiástico.

 

Jesus falou: “E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.” (Mateus 24:11, RC.) [12] Ah, Jesus! Ainda bem que o Senhor deixou avisado que essas coisas iriam acontecer. Senão eu não sei o que seria de nós.

 

Muitas pessoas estão achando que quem realiza milagres é verdadeiro. Estão completamente enganadas, pois os falsos, segundo Jesus, farão grandes milagres. “Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos.” (Marcos 13:22, NTLH.) [13] Paulo frisou: “O Perverso chegará com o poder de Satanás e fará todo tipo de falsos milagres e maravilhas.” (II Tessalonicenses 2:9. NTLH.) [14] 

 

Não são pelos milagres que descobrimos quem é falso. São através dos frutos. Se a pessoa é orgulhosa, gananciosa, vaidosa ou coisa parecida, tome cuidado. Veja o que disse Jesus: “Vocês os conhecerão pelo que eles fazem. Os espinheiros não dão uvas, e os pés de urtiga não dão figos. Assim, toda árvore boa dá frutas boas, e a árvore que não presta dá frutas ruins. A árvore boa não pode dar frutas ruins, e a árvore que não presta não pode dar frutas boas. Toda árvore que não dá frutas boas é cortada e jogada no fogo. Portanto, vocês conhecerão os falsos profetas pelas coisas que eles fazem.” (Mateus 7.16-20, NTLH.) [15]

 

Aquela cara de bonzinho, de santo, de homem de Deus que ora, jejua, prega a Bíblia, fala línguas estranhas, nada disso significa que o pregador é verdadeiro. “Cuidado com os falsos profetas! Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos selvagens.” (Mateus 7.15, NTLH.) [16] Paulo alertou: “Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.” (2 Coríntios 11:13, RC.) [17]

 

Quanto Paulo estava se despedindo dos presbíteros de Éfeso, disse: “Pois eu sei que, depois que eu for, aparecerão lobos ferozes no meio de vocês e eles não terão pena do rebanho. E chegará o tempo em que alguns de vocês contarão mentiras, procurando levar os irmãos para o seu lado.” (Atos 20.29-30, NTLH.) [18]

 

Pedro escreveu: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. Mesmo assim, muita gente vai imitar a vida imoral deles, e por causa desses falsos mestres muitas pessoas vão falar mal do Caminho da verdade.

 

Em sua ambição pelo dinheiro, esses falsos mestres vão explorar vocês, contando histórias inventadas. Mas faz muito tempo que o Juiz está alerta, e o Destruidor deles está bem acordado.” (II Pedro 2.1-3, NTLH.) [19]

 

Preste a atenção no que Pedro falou: eles introduzirão heresias destruidoras, encobertamente, dissimuladamente, disfarçadamente, astuciosamente. São estratagemas para enganarem as pessoas que não têm muito conhecimento da verdade. Com essas heresias, eles negarão o que Cristo fez por nós. Tem gente achando que o falso vai negar a obra de Jesus abertamente. Esse não é o falso, é o anticristo. O falso não nega diretamente. Na verdade ele nega através de suas artimanhas. Por exemplo: Eles sabem que quem está com Deus, o maligno não tem poder sobre ele. (2 Tessalonicenses 3.3; 1 João 5:18.) [20] Portanto, a única coisa que deveriam fazer era anunciar o evangelho de Jesus para que as pessoas pudessem andar com Deus. Mas eles negam o poder do evangelho de Jesus e dizem que as pessoas estão cheias de obras malignas e inventam um monte de elementos místicos, um monte de simpatias para que as pessoas possam se livrar do mal. Eles sabem que precisamos acreditar em Jesus e confiar em Deus, que é todo poderoso. Mas usam e abusam das crendices do povo. Em vez de ensiná-las o verdadeiro evangelho e libertá-las de suas crenças absurdas, eles aproveitam delas. Arrumam arruda, sal grosso, fitinhas, água benta, óleo daí e dacolá... Já deu pra perceber. Não dá pra dizer tudo aqui. A lista é enorme. Já tem até empresa produzindo elementos místicos. A demanda é grande.

 

Eles sabem que avareza é um pecado condenado por Jesus. Mas sabem que as pessoas têm sede de ficarem ricas. Então inventaram campanhas para que as pessoas consigam dobrar, triplicar, quadruplicar o seu patrimônio. São espertos e dizem que está tudo lá na Palavra de Deus. Pena que nem todos conseguem ver como eles disfarçam tudo. Somente dizem aquilo que lhes interessam. Do evangelho adoram dizer que Jesus veio trazer vida com ABUNDÂNCIA. (João 10.10.) [21] Não entendem ou não querem dizer que vida abundante é vida completa com tudo aquilo que realmente é necessário. Não é vida de rico, que é o excesso de bens materiais. Nessas campanhas de arrecadação, eles dificilmente vão ler Lucas 12:15 que diz: “Acautelai-vos e guardai-vos da avareza, porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.” (RC.) [22] Nem tampouco Mateus 6:19: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam.” (RC.) [23] Há muitos outros versículos desse tipo que certamente nunca ouviu da boca deles. Parece que a Bíblia deles não é completa.

 

Por que fazem isso tudo? A resposta é simples: porque querem ganhar dinheiro em cima das crendices do povo que não conhecem o verdadeiro evangelho. Por isso, Pedro disse que é a ambição pelo dinheiro que faz esses falsos inventarem histórias. Eles falam de coisas fictícias ou fingidas para explorarem os outros. Muitas pessoas, enganadas, vão imitá-los. Observe como surge pregador imitando as artimanhas do outro. Cada dia surge uma nova igreja usando os mesmos artifícios. Alguns até imitam com boa fé. Mas muitos acabam no caminho da malandragem gospel.

 

O pior é que, por causa de tudo isso, como disse Pedro, muitas pessoas vão falar mal do caminho da verdade. Não é exatamente isso que vemos? Por causa desses pilantras, muitas pessoas que não conhecem o verdadeiro evangelho, mas conhecem as espertezas desses falsos pregadores, acham que a vida cristã é pura pilantragem. Sendo assim, esses falsos pregadores, com cara de santo, fingindo serem homens de Deus, profetas ungidos, estão, na verdade, despregando o evangelho. Estão sujando o bom nome de Jesus e dos apóstolos.

 

Eles sabem que a maioria do povo não conhece a Bíblia direito, por isso eles a torcem do jeito que querem e “provam”, astuciosamente, que “estão dentro da Palavra de Deus”. Tudo isso não passa de estelionato religioso. 

 

·       No estelionato, as pessoas buscam vantagens para si. Eles buscam vantagens diversas: dinheiro, patrimônios e fama.

 

·       No estelionato, há artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento. Eles inventam um monte de coisas falsas, torcendo a Bíblia, pegando carona nas crendices e por ai afora.

 

·       O estelionatário causa prejuízos alheios. Eles tomam grandes somas de dinheiro do povo e, com suas malandragens, não deixam muitos descobrirem o verdadeiro evangelho.

 

·       As vítimas do estelionato são induzidas ou mantidas no erro. Eles deixam as pessoas no caminho do erro, correndo atrás de crendices, alimentando ou instigando neles a avareza. [24], [25], [26], [27]

 

Esse é o perfil de muitos pregadores. Se você é desse tipo, converta-se imediatamente. Se for uma pessoa que anda atrás de pregadores assim, tome cuidado. Não jogue fora o verdadeiro evangelho da graça. Não negocie mais com Deus por meio desses estelionatários.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br