Translate, traduzir

Ordenação ou consagração religiosa (parte I)

Livres dos Fardos Religiosos

 

Na Antiguidade, os sacerdotes eram santificados para o serviço religioso com bastante cerimônia. Jesus não seguiu esse costume e nem a igreja do primeiro século. Todavia, a Igreja do século IV em diante passou a ordenar o clero com muitas formalidades.

 

Para entender esse assunto melhor, vamos voltar à época de Moisés, há mais de 1300 anos antes de Cristo.

 

image

Descrição: Moisés ungindo a orelha de Arão com sangue. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Os primeiros sacerdotes do povo hebreu foram Arão e os seus filhos. (Êxodo 28.1.) [1] Para santificar esses homens para o sacerdócio, Moisés realizou uma série de rituais. Foi preparado o azeite ou óleo da unção, que era uma mistura de azeite, mirra, canela, cálamo e cássia. (Êxodo 30.22-25.) [2] Foram determinados os seguintes animais: um novilho e dois carneiros sem defeitos. Alguns alimentos também foram escolhidos: pão sem fermento e bolos de farinha também sem fermento, amassados com azeite, além de bolachas feitas igualmente sem fermento, untadas de azeite, tudo feito com farinha de trigo da mais fina. (Êxodo 29.1-2; Levítico 8.2.) [3]

 

O pão foi colocado num cesto e levado juntamente com os animais até à entrada do tabernáculo ou tenda. Ali o povo foi reunido. Arão e os seus filhos também foram levados para a porta do tabernáculo, onde foram lavados. Após o banho, Arão foi vestido com todas as suas roupas sacerdotais. Depois, Moisés aspergiu parte do óleo da unção sete vezes sobre o altar e, com ele, ungiu o tabernáculo e tudo o que havia nele e também o altar e todos os seus utensílios, como também a bacia e o seu suporte. Foi derramado, na cabeça de Arão, outra parte do óleo da unção. E, dando sequencia, vieram os filhos de Arão, que também foram vestidos com os seus trajes sacerdotais. (Êxodo 29. 3-9; Levítico 8.3-13.) [4]

 

 

image

Descrição: Aspersão com sangue praticada por Moisés. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

O novilho para ser sacrificado como oferta pelo pecado foi trazido, e Arão e os seus filhos colocaram as mãos sobre a cabeça dele. Então, Moisés matou o novilho, pegou parte do sangue do animal morto e, com o dedo, passou sobre as pontas do altar. (O altar era quadrado e, em cada canto, havia uma ponta parecida com um chifre. Essas quatro pontas foram sujadas de sangue.) O resto do sangue foi jogado na base desse altar. Depois, ele pegou a gordura entre os órgãos do animal, a melhor parte do fígado e os rins e queimou tudo no altar. O restante: a carne, a pele e o excremento foram queimados fora do acampamento. Na sequencia, foi trazido o carneiro, e Arão e seus filhos colocaram as mãos na cabeça dele também. Esse animal, da mesma forma, foi morto por Moisés, que pegou o seu sangue e aspergiu o altar ao redor. Esse carneiro morto foi partido, e suas entranhas e suas pernas foram lavadas, e tudo foi queimado sobre o altar como holocausto para o Senhor. Continuando, foi trazido o outro carneiro. Da mesma forma, Arão e os seus filhos colocaram as mãos sobre a cabeça dele. Esse animal também foi morto por Moisés. Em seguida, ele pegou parte do seu sangue e passou sobre a ponta da orelha direita, no polegar da mão direita e no polegar do pé direito de Arão e de seus filhos. E o resto do sangue foi espalhado ao redor do altar. Dando sequencia, com o sangue que estava sobre o altar e com o azeite da unção, Arão e os seus filhos foram aspergidos para que fossem santificados, juntamente com as suas vestes. Todos eles ficaram lambuzados de sangue e óleo. (Que coisa sinistra!) Depois, Moisés pegou a gordura do animal, incluindo a gordura das entranhas, a cauda, o redenho do fígado, os rins com sua gordura e a sua coxa direita, um bolo asmo, um bolo de pão feito com azeite e um coscorão (pão achatado) e colocou tudo nas mãos de Arão e de seus filhos para que tudo isso fosse declarado como oferta especial. Em seguida, tudo isso foi tomado de suas mãos e queimado no altar sobre o holocausto. O peito do carneiro foi separado para Moisés, como oferta especial para Deus. (Êxodo 29.10-26; Levítico 8.14-29.) [5] 

 

Esta foi a complicada, bizarra e sangrenta cerimônia de consagração de Arão e de seus filhos para o sacerdócio de Israel. Essa cerimônia durou sete dias. Em cada dia foi sacrificado um novilho como sacrifício de expiação do pecado e dois carneiros de um ano: um oferecido de manhã, e o outro, pela tarde, todos acompanhados de um quilo de farinha de trigo misturada com um litro de azeite e um litro de vinho. (Êxodo 29.35-41.) [6]

 

Ordenação ou consagração religiosa é um ritual, onde uma pessoa recebe ordem para exercer um cargo religioso, como aconteceu na cerimônia para santificar Arão e os seus filhos para o sacerdócio dos hebreus ou povo de Israel. [7], [8].

 

image

Descrição: Jesus escolhendo os apóstolos. Data: 05/02/2010. Autor: Phillip Vere. Fonte.  Licença Arte Livre.

 

image

Descrição: Escolha dos primeiros diáconos. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Jesus escolheu pessoas para pregarem o seu evangelho, mas não o vemos realizando nenhuma cerimônia de ordenação. Ele preparou os seus discípulos com ensinos práticos, mas não o vemos realizando nenhum ritual nesse sentido. Ele, andando junto ao mar da Galiléia, avistou dois homens que estavam pescando com redes. Os dois eram irmãos. Um se chamava Pedro, e o outro, André. Aproximando-se deles, Jesus os convidou para serem seus discípulos dizendo: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” (Mateus 4:19; Marcos 1:17, RA.) [9] Mais adiante, viu mais dois irmãos consertando as suas redes: Tiago e João. Ele convidou os dois também. (Mateus 4.18-22.) [10] Outro dia, viu um homem chamado Mateus e disse-lhe: “Segue-me.” (Mateus 9:9.) [11] Encontrou Filipe na Galiléia e disse: “Segue-me.” (João 1:43.) [12] Assim, outros foram convidados para fazerem parte do grupo dos apóstolos sem nenhuma cerimônia.

 

Na igreja do Novo Testamento, as pessoas também eram confirmadas para atuarem na obra de Deus sem nenhuma cerimônia cheia de formalidades. Internamente, o Espírito Santo de Deus escolhia (e ainda escolhe) as pessoas para atuarem na igreja, que é corpo de Cristo e não uma organização religiosa ou um templo. Não era uma ordenação cheia de rituais, pomposa e demorada como hoje, mas uma simples confirmação. As pessoas identificadas para o serviço divino eram confirmadas apenas com uma imposição de mãos, acompanhada de uma pequena oração.

 

·       Os diáconos foram confirmados dessa forma. Eles foram levados aos apóstolos, que oraram e puseram as mãos sobre a cabeça deles. (Atos 6.1-6.) [13]

·       “Em cada igreja os apóstolos escolhiam presbíteros. Eles oravam, jejuavam e entregavam os presbíteros à proteção do Senhor, em quem estes haviam crido.” (Atos 14.23, NTLH.) [14]

·       Profetas e mestres da igreja de Antioquia separaram Barnabé e Saulo para a obra de Deus dessa forma. (Atos 13.1-3.) [15]

·       Paulo, escrevendo para o seu cooperador Timóteo, fala que ele havia recebido o seu dom com a imposição das mãos dos presbíteros e dele. (1 Timóteo 4:14; 2 Timóteo 1:6.) [16]

·       E alerta: “Não tenha pressa de colocar as mãos sobre alguém para dedicá-lo ao serviço do Senhor.” (1 Timóteo 5:22 , NTLH.) [17]

 

Mas como já foi dito, nada disso era uma ordenação como tem acontecido em muitas igrejas institucionalizadas. Era um simples ato de confirmação de pessoas que tinham o dom e a maturidade para atuarem na obra de Deus, não para dominarem o povo, mas para ajudarem a todos a andarem no caminho certo. O ato de impor as mãos era apenas um meio para indicar que aquelas pessoas estavam sendo reconhecidas como obreiras da igreja. Não era uma nomeação pra que ocupassem um cargo elevado acima da igreja local. Todavia, com o passar do tempo, tudo foi sendo transformado.

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br