Translate, traduzir

Pastores e mestres (Parte I)

 

Livres dos Fardos Religiosos

 

Hoje em dia, quando alguém diz o termo pastor, as pessoas logo imaginam um homem bem vestido, de paletó e gravata, num púlpito, com uma Bíblia, pregando um sermão. Encontramos pastores assim em todas as camadas socais, de todas as idades, homens e mulheres. Pedir dinheiro insistentemente é a marca registrada de muitos. Alguns são verdadeiros vendedores. Muitos adoram o título de pastor junto ao seu nome. Para muitos, o pastorado é um curso, um cargo, uma profissão, uma fonte de renda. Alguns realizam trabalhos como se fossem sacerdotes gospel.  Muitos, como os sofistas da Grécia, cheio de retórica e eloquência, são especialistas em sermões, com o quais ganham altos cachês como se fossem artistas. Mas será que muitos pastores modernos se encaixam no evangelho original de Jesus Cristo?

 

 

clip_image002

Descrição: Ovelhas. Data: 28 de julho de 2013.  Autor: Silar. Fonte. Licença CC BY-SA

Antes de tudo, vamos esclarecer o sentido da palavra pastor de acordo com o evangelho puro.

 

A ovelha, criada em todo o mundo, desde os tempos mais remotos, para produção de lã, leite e carne, é um animal calmo, sem muitas habilidades para se defender das feras como: lobos, raposas, leões, dentre outros animais selvagens. [1], [2]  O macho, mais agressivo, é conhecido como carneiro. Os mais jovens são denominados de cordeiros. [3]  No Oriente, de acordo com a Bíblia, esse animal já era criado até mesmo antes do dilúvio. No livro do Gênesis, o primeiro livro bíblico, as palavras ovelha, rebanho, carneiro e cordeiro, no singular e no plural, aparecem dezenas de vezes. [4] Em toda a Bíblia, essas palavras aparecem mais de 600 vezes. Isso porque os hebreus eram grandes criadores desse animal, que também era usado em sacrifícios. Eles ofereciam, todos os dias, sobre o altar, onde eram queimados, dois cordeiros: um pela manhã e o outro à tarde. (Êxodo 29.38-42.) [5]

 

Por serem animais indefesos, de acordo com a Bíblia, necessitavam de cuidados especiais. Então, era necessário a presença de pastores para guardá-los dos ataques das feras no pasto e nos redis ou apriscos, principalmente à noite. Além disso, os pastores também levavam o rebanho para beber água. [6] Eles usavam um cajado (bordão) e iam adiante das ovelhas. [7] Conforme disse Jesus, “quem entra pela porta do redil é o pastor do rebanho. O porteiro abre a porta para ele. As ovelhas reconhecem a sua voz quando ele as chama pelo nome, e ele as leva para fora do curral. Quando todas estão do lado de fora, ele vai na frente delas, e elas o seguem porque conhecem a voz dele.” (João 10.2-4, NTLH.) [8]

 

O salmista compara o ser humano a uma ovelha, e Deus, o Senhor, a um pastor. Ele declama: “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.” (Salmo 23 ou 22 conforme versão.) [9] Disse também: “Porque ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas da sua mão.” (Salmos 95:7, RC ou 94.7 conforme a versão.) [10] “Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele, e não nós, que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto.” (Salmos 100:3, RC, ou 99.3 conforme a versão.) [11]

 

Jesus falava por meio de comparações. Nas suas mensagens, as pessoas são comparadas às ovelhas. (Mateus 10:6; Marcos 6:34.) [12] Ele é o Mestre. Ele deixou os seus ensinos para guiar as pessoas no caminho da verdade. Ele é comparado à porta do aprisco (curral ou redil) por onde as ovelhas podem entrar e sair com segurança, porque ele também é como o bom pastor. Veja o que ele disse: “Eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem. O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.” (João 10.7b-15, RA.) [13] Jesus, mesmo sendo jovem, era o Mestre, guiando as pessoas por meio de seus ensinos. (Marcos 12.14.) [14] Por causa disso, ele foi chamado de grande Pastor das ovelhas, Pastor e Bispo da nossa alma e Sumo Pastor. (Hebreus 13.20; 1 Pedro 2.25; 1 Pedro 5:4.) [15]

 

De acordo com os ensinos de Jesus, dentro deste contexto, existem quatro tipos de pessoas que se envolvem com o rebanho, que é a igreja.

 

1.    O ladrão. Este é fácil de ser reconhecido. Ele não entra pela porta, mas pula o muro do aprisco. (João 10.1.) [16] Jesus disse que antes dele, muitos ladrões e salteadores tinham vindo. E alertou dizendo que o ladrão vem para matar, roubar e destruir. (João 10.8,10.) [17] Não é difícil para as ovelhas saber quem é ladrão.

 

2.    O lobo disfarçado de ovelha. Este é mais difícil de ser reconhecido. Jesus disse para os seus discípulos que eles estavam sendo enviados como ovelhas para o meio de lobos. (Mateus 10:16.) [18] Paulo alertou dizendo que penetraria, nas igrejas, lobos vorazes que não poupariam o rebanho. (Atos 20.29.) [19] Muitos, hoje em dia, fazem questão de dizer que são profetas de Deus. Alguns realmente podem ser. Mas nem todos. Afinal, Jesus profetizou que surgiriam falsos profetas, disfarçados de ovelhas, sendo, por dentro, lobos roubadores. (Mateus 7.15.) [20] E enganariam a muitos. Fariam grandes sinais e prodígios, que, se fosse possível, enganariam até os escolhidos. (Mateus 24.11, 24.) [21] Por isso, não podemos ficar impressionados com os milagres que têm acontecido por todos os lados. Prodígios acontecem pela fé, mas não são nenhuma indicação de que o pastor é verdadeiro. Como disse Jesus, somente pelos frutos podemos saber se este ou aquele pastor é ou não é verdadeiro. (Mateus 7.15-20.) [22] Então, ao contrário do que muitos imaginam, os falsos podem realizar grandes milagres sim. Há muitas pessoas com cara de ovelhas, mas são, na verdade, lobos. Temos que ficar de olho nos frutos e não nas palavras e prodígios que eles falam e realizam. Esses homens disfarçados de ovelhas não podem produzir as virtudes ou frutos do verdadeiro cristão.

 

3.    O pastor que trabalha por amor. O verdadeiro pastor protege as ovelhas dos ladrões e dos lobos disfarçados de ovelhas porque ele as ama. Esse produz bons frutos e não se preocupa com o dinheiro. Jesus viu uma multidão e ficou com muita pena das pessoas porque elas estavam aflitas e abandonadas, como ovelhas sem pastor. (Mateus 9.36; Marcos 6.34.) [23]O verdadeiro pastor tem compaixão das pessoas e trabalha de forma humanitária. Esse tipo de pessoa existe. Apenas as verdadeiras ovelhas conseguem ouvir sua voz e o segue.

 

4.    O pastor que trabalha por dinheiro ou mercenário. Esse parece não ser perigoso, mas é. O mercenário atua como um pastor das ovelhas. O problema é que ele não as protege como devia. Apenas pensa no pagamento que receberá pelo seu trabalho. Ama o dinheiro e não tem amor às ovelhas. Apenas vê nelas uma fonte de lucro. Jesus disse: “O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas.” (João 10.12-13, RA.) [24] Esses apenas querem pessoas para gerarem mais arrecadações financeiras. Pedro deixou escrito que surgiriam falsos mestres movidos por avareza (ambição pelo dinheiro) fariam da igreja um negócio, um comércio, uma exploração. Quando Jesus enviou um grupo de discípulos numa missão, ele disse que eles deveriam pregar a chegada do reino dos céus, curar enfermos, ressuscitar mortos e expulsar demônios, tudo de graça. Eles não precisariam levar nada. Poderiam ficar hospedados nas casas dos outros, onde poderiam comer e beber o que lhes fosse oferecido, afinal, segundo ele, o trabalhador é digno do seu salário. Não poderiam cobrar pelos seus serviços, mas poderiam aceitar a ajuda dos outros. (Mateus 10.1-11; Lucas 10.1-9.) [25] Em lugar nenhum, vemos Jesus e os seus primeiros discípulos explorando os outros com a religião. Ele realizou um monte de coisas sem cobrar nada. Apenas contou com a ajuda daqueles que amavam o seu ministério. Muitos adoram citar quando ele disse que o trabalhador é digno do seu salário. Mas esse salário que ele se referiu são ajudas como: hospedagens, alimentação e quem sabe até dinheiro, mas não exatamente salário gordo no final do mês, mordomias e grandes cachês como podemos ver hoje em dia. Muitos não gostam da primeira parte que disse para dar de graça. O Novo Testamento fala de ajuda espontânea em todos os sentidos, mas nunca encontramos uma regra estabelecida para que as pessoas banquem as mordomias de alguma pessoa que possa estar adiante de uma organização religiosa. Quem gasta todo o seu tempo pregando o evangelho até pode viver do evangelho. (1 Coríntios 9.14.) [26] Mas isso tem limites. Paulo foi um exemplo de pastor que trabalhou por amor, evitando o máximo que podia aceitar ajuda das pessoas. Apenas aceitou ser ajudado nos momentos mais extremos. (1 Coríntios 9.4-19; 2 Coríntios 12.13-19; 1 Tessalonicenses 2:6-11; 2 Tessalonicenses 3.8-9;  Atos 20:33-35; 2 Coríntios 11.7-9; Filipenses 4.10-19.) [27] Ao contrário de Paulo, muitos estão, exclusivamente, preferencialmente, na verdade, atrás do dinheiro. Basta ter olhos para ver.

 

Você é uma ovelhas. Certamente há alguém como verdadeiro pastor espiritual tentando cuidar de você. Mas também há ladrões, lobos disfarçados de ovelhas e mercenários, acima de tudo, querendo o seu dinheiro. Fique atento!

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, juntamente com essa informação final, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2014. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br