Ministérios eclesiais

Livres dos Fardos Religiosos

 

Em algumas organizações religiosas chamadas de igrejas, alguns membros, muitas vezes, ficam oprimidos debaixo de diversos encargos: porteiros, líder de crianças, de adolescentes, de jovens, de senhoras, de homens, tesoureiro, secretário, faxineiro, cantineiro, professor de escola bíblica, dentre tantos outros cargos. Algumas tarefas impostas por alguns líderes acabam fazendo alguns ficarem cansados, e esses, algumas vezes, acabam desistindo de tudo. Não é preciso ser assim. O verdadeiro ministério de cada pessoa, na igreja livre, conforme o evangelho original, pode ser de acordo com o dom de cada um, e ninguém precisa dar qualquer satisfação para nenhum líder religioso.

 

Ministério eclesial é a função ou incumbência daqueles que fazem parte da igreja de Cristo. Não é nenhuma tarefa exigida por ninguém. É o dom recebido de Deus, a capacidade dada por Ele para que a pessoa possa exercer o seu papel na obra divina.

 

Quem faz as coisas de acordo com o seu dom, age com naturalidade, com bastante satisfação e vontade. Adquire forças para enfrentar os obstáculos e nunca pensa em desistir. Mas quem trabalha por imposição de homens pode se entristecer, ficar exausto e desanimado. Isso acontece porque a pessoa trabalha como membro de uma instituição religiosa, cuja cabeça é um homem, que não pode transmitir as forças necessárias.

 

 

clip_image002

 

Jesus Cristo –– a única cabeça do corpo, que é a igreja.

clip_image004

Todas as pessoas que seguem os seus ensinamentos formam a igreja, que é o seu corpo. Aqui, todos são dependentes uns dos outros. Ninguém está acima de ninguém. Todos estão ligados uns aos outros, cada um com a sua função, contribuindo para que todo o corpo seja completo e saudável.

Desc.: Um só corpo, uma só cabeça. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Derivada da obra de Abujoy. Licença CC BY-SA.

Todas as pessoas que seguem o que Jesus ensinou formam o que chamamos de igreja de Cristo. Isso não depende de nenhuma igreja institucionalizada. A verdadeira igreja, que não é nenhuma organização religiosa propriamente dita, mas o conjunto de todos os cristãos verdadeiros de todos os lugares, de forma figurada, é o corpo de Jesus Cristo. (Colossenses 1.24.) [1] Pelo mundo afora, há milhares de templos e organizações chamadas de igrejas. Mas igreja de Cristo só existe uma, e ela não tem nenhuma sede e nenhum presidente mundial, nenhum cabeça humano, nenhuma hierarquia. Ela, como corpo único, tem como cabeça apenas Jesus Cristo. (Efésios 1:22; 3:10, 21; 4.15; 5:23-32; Colossenses 1:18, 24) [2]. Somente ele está acima, no comando. Abaixo, todos nós somos corpo. Ninguém é chefe de ninguém. Nós todos, cada um com a sua função recebida do alto, temos a obrigação de servirmos uns aos outros. Por isso, Pedro escreveu: “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (1 Pedro 4:10, RA.) [3]

 

Paulo escreveu: “Existem tipos diferentes de dons espirituais, mas é um só e o mesmo Espírito quem dá esses dons. Existem maneiras diferentes de servir, mas o Senhor que servimos é o mesmo. Há diferentes habilidades para realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada um a habilidade para fazê-lo. Para o bem de todos, Deus dá a cada um alguma prova da presença do Espírito Santo.  Para uma pessoa o Espírito dá a mensagem de sabedoria e para outra o mesmo Espírito dá a mensagem de conhecimento. Para uma pessoa o mesmo Espírito dá fé e para outra dá o poder de curar. Uma pessoa recebe do Espírito poder para fazer milagres, e outra recebe o dom de anunciar a mensagem de Deus. Ainda outra pessoa recebe a capacidade para saber a diferença entre os dons que vêm do Espírito e os que não vêm dele. Para uma pessoa o Espírito dá a capacidade de falar em línguas estranhas e para outra ele dá a capacidade de interpretar o que essas línguas querem dizer. Porém é um só e o mesmo Espírito quem faz tudo isso. Ele dá um dom diferente para cada pessoa, conforme ele quer.”

   

“Cristo é como um corpo, o qual tem muitas partes. E todas as partes, mesmo sendo muitas, formam um só corpo. Assim, também, todos nós, judeus e não-judeus, escravos e livres, fomos batizados pelo mesmo Espírito para formar um só corpo. E a todos nós foi dado de beber do mesmo Espírito. Pois o corpo não é feito de uma só parte, mas de muitas. Se o pé disser: “Já que não sou mão, não sou do corpo”, nem por isso deixa de ser do corpo. Se o ouvido disser: “Já que não sou olho, não sou do corpo”, nem por isso deixa de ser do corpo. Se o corpo todo fosse olho, como poderíamos ouvir? E, se o corpo todo fosse ouvido, como poderíamos cheirar?  Assim Deus colocou cada parte diferente do corpo conforme ele quis. Se o corpo todo fosse uma parte só, não existiria corpo. De fato, existem muitas partes, mas um só corpo. Portanto, o olho não pode dizer para a mão: “Eu não preciso de você.” E a cabeça não pode dizer para os pés: “Não preciso de vocês.” O fato é que as partes do corpo que parecem ser as mais fracas são as mais necessárias, e aquelas que achamos menos honrosas são as que tratamos com mais honra. E as partes que parecem ser feias recebem um cuidado especial,  que as outras mais bonitas não precisam. Foi assim que Deus fez o corpo, dando mais honra às partes menos honrosas. Desse modo não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras. Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela. Se uma é elogiada, todas as outras se alegram com ela.” (1 Coríntios 12.12-26, NTLH.) [4].

 

“Foi ele quem ‘deu dons às pessoas’. Ele escolheu alguns para serem apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e ainda outros para pastores e mestres da Igreja. Ele fez isso para preparar o povo de Deus para o serviço cristão, a fim de construir o corpo de Cristo. Desse modo todos nós chegaremos a ser um na nossa fé e no nosso conhecimento do Filho de Deus. E assim seremos pessoas maduras e alcançaremos a altura espiritual de Cristo. Então não seremos mais como crianças, arrastados pelas ondas e empurrados por qualquer vento de ensinamentos de pessoas falsas. Essas pessoas inventam mentiras e, por meio delas, levam outros para caminhos errados. Pelo contrário, falando a verdade com espírito de amor, cresçamos em tudo até alcançarmos a altura espiritual de Cristo, que é a cabeça. É ele quem faz com que o corpo todo fique bem ajustado e todas as partes fiquem ligadas entre si por meio da união de todas elas. E, assim, cada parte funciona bem, e o corpo todo cresce e se desenvolve por meio do amor.” (Efésios 4.11-16, NTLH.) [5].

 

“Ora vocês formam o corpo de Cristo, e cada um separadamente constitui uma parte necessária desse corpo. É pois assim que na igreja Deus colocou, em primeiro lugar, apóstolos; em segundo, profetas; em terceiro, ensinadores; e depois os que fazem milagres, os que têm o dom de curar, outros o dom de ajudar o semelhante, outros sabem administrar a igreja, e outros ainda falam em línguas que nunca aprenderam. Deverão ser todos apóstolos? Serão todos pregadores ou profetas? Tornar-se-ão todos ensinadores? Poderão todos fazer milagres? Podem todos curar os doentes? Dá-nos Deus a todos capacidade de falar línguas que não conhecemos? Pode qualquer pessoa interpretar o que aqueles que têm esse dom dizem? Claro que não.” (1 Coríntios 12.27-30, OL.) [6].

 

É claro que primeiro lugar, segundo lugar e terceiro lugar não significam posições hierárquicas acima dos demais. Paulo está falando da sequencia em que os dons foram surgindo na igreja. Por isso, ele, na qualidade de apóstolo, se sentiu, não em primeiro lugar, acima do outros, mas em último lugar. (1 Coríntios 4:9.) [7]. Todos nós somos importantes. Mas não existe um membro mais importante que o outro. Todos somos iguais. Ninguém está acima do outro. Somos nós que temos a mania de achar que alguns estão por cima. Por exemplo: muitos acham que o pastor está acima dos demais membros. Mas é apenas uma ilusão criada sob as influências do Império Romano. (Veremos isso depois.) Os pastores, juntamente com todos os demais membros do corpo de Cristo, são todos sacerdotes uns do outros. Ninguém é sumo sacerdote a não ser Jesus Cristo. Sobre isso, Jesus ensinou: “Entre os descrentes, os governantes até podem ser tiranos e os grandes mandam nos que estão abaixo deles. No vosso meio, porém, será muito diferente. Quem quiser ser o principal entre vocês deve ser vosso servo, e quem quiser ser o primeiro deve tornar-se o vosso escravo.” (Mateus 20:25-27, OL.) [8].

Além desses exemplos citados por Paulo, ainda há pessoas com outras capacidades como: pessoas que cantam, que tocam instrumentos musicais, que fazem teatro, que podem escrever textos, que sabem traduzir textos, que desenham, que criam dinâmicas de grupo, que promovem eventos e muito, muito mais coisas que nem imaginamos. Há também muitas tarefas aparentemente simples, mas que são essenciais para que todo o corpo de Cristo possa funcionar perfeitamente.

 

Após falar sobre os dons de cada um, Paulo completou: “Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino. Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé, que até poderia tirar as montanhas do seu lugar, mas, se não tivesse amor, eu não seria nada. Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada.” (1 Coríntios 13.1-3, NTLH.) [9]. Tudo isso quer dizer que se a pessoa age com o intuito de ganhar dinheiro, fama e honra, nada adianta. Muitos usam seu dom para fazer marketing pessoal ou marketing de suas igrejas institucionalizadas. Você percebe como muitos gostam de ostentar seus dons diante dos outros. Fazem isso com o desejo de aparecer. Precisamos usar o nosso dom como uma obra de amor ao próximo. As nossas obras precisam ser, acima de tudo, obras humanitárias. Você poderá até necessitar de recursos financeiros, mas esse não pode jamais ser o seu objetivo.

 

Não seja um membro morto. Faça alguma coisa, por amor, a fim de promover tudo aquilo que Jesus ensinou. Jesus é o caminho do bem. Por isso, faça o que puder para promover a mudança de vida, a fé, a esperança, a coragem, a verdade, o amor, a paz, o otimismo, a perseverança, a liberdade, a misericórdia, a solidariedade, a justiça, o altruísmo, a generosidade, a simplicidade, a modéstia, a humildade, a amizade, o perdão, a reconciliação e tantas outras virtudes. Trabalhe contra o desrespeito, o pessimismo, a opressão, a desobediência, a mentira, a hipocrisia, a inveja, o abuso, a omissão, o desamor, a agressividade, a maldade, a injustiça, o egoísmo, a ambição e a avareza. Reprove a opulência, a luxúria, a dominação, o orgulho, a inimizade, o ressentimento, o preconceito, o ódio, a ira, a discriminação, a intolerância, a contenda, o vilipendio, a injúria, a blasfêmia, a profanação e a irreverência. Condene o chauvinismo, a escravização, a vingança, a tortura, o assassinato, a matança, o suicídio, o genocídio, o infanticídio, a guerra, a depredação, o roubo, a corrupção, a degradação do meio ambiente e muitos, muitos outros males desse mundo. Faça o que puder para promover o bem e recusar o mal. Não perca tempo com práticas e rituais religiosos cansativos. Use o seu talento para produzir frutos dignos de arrependimento. Faça coisas que realmente provam que está no caminho de Deus. Não trabalhe para sistemas religiosos. Trabalhe em prol do bem para todos. Desenhe, faça canções, teatros, mensagens, livros; faça o que puder para promover virtudes e condenar desvirtudes. Acima de tudo, seja um exemplo de cristão de verdade. Esqueça as logomarcas religiosas e seja a marca do cristianismo verdadeiro. O mundo está cansado de ver apenas folhagens religiosas. Vamos produzir frutos.

 

Não fique oprimido debaixo dos constrangimentos psicológicos dos líderes das organizações religiosas que fazem você trabalhar para eles, lhe fazendo acreditar que é um servo inútil, não fazendo o que eles determinam. A igreja de Cristo custou a sua própria vida, por isso, não podemos nos tornar servos de homens. (1 Coríntios 7:23.) [10]. Somos sacerdotes uns dos outros e temos que dar satisfações apenas para o sumo sacerdote Jesus e Deus. (I Pedro 2.5 e 9; Apocalipse 1.6 e 5.10.) [11].

 

Cada membro do corpo tem a sua função certa. Não adianta querer inverter as tarefas. Da mesma forma, na igreja, cada um tem o seu ministério. Não podemos exigir que uma pessoa faça o que não faz parte da sua vocação. Muitas pessoas estão atuando como verdadeiros membros de organizações religiosas. Mas eu estou dizendo que as pessoas precisam atuar como verdadeiros membros do corpo de Cristo, que é a sua igreja, que não tem nome e nem fronteiras. Por isso, apoiamos todas as pessoas que realizam alguma coisa para manterem vivos os ensinos de Jesus Cristo. Não somos uma organização religiosa cheia de tarefas. Por esse motivo, não estamos determinando nenhum cargo ou função para ninguém. Cada um deve fazer aquilo que está dentro da sua capacidade e do seu coração. Siga os comandos do alto. Vá em frente!  

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br