Translate, traduzir

Diáconos I

Livres dos Fardos Religiosos

Vivemos um cristianismo fajuto, falso, adulterado, onde alguns têm muito, enquanto outros quase não têm nada. A nossa sociedade estratificada pelo capitalismo selvagem, finge ser cristã, construindo templos imponentes, com liturgias sofisticadas. Temos sido hipócritas, fazendo o que Cristo não mandou fazer e deixando de lado o que ele realmente ensinou na prática.

 

 

clip_image002

Descrição: Residências simples com altos prédios ao fundo. Cenas comuns na sociedade capitalista selvagem, onde muitos se dizem cristãos. Data: ? Autor: Lala Lugo. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

 

Esta mensagem vai mudar os seus conceitos sobre o evangelho. Depois de mergulhar nas mensagens do amor ágape pregadas por Jesus e pelos apóstolos, entenderá que a missão da igreja não é exatamente o que temos visto por ai.

 

Em todas as igrejas, encontramos pessoas com a função de diácono. Entretanto, muitos cristãos, até mesmo alguns intitulados de diáconos, não sabem quem eles deveriam ser. Mas o que era mesmo um diácono? Por que ele surgiu?

 

 

clip_image004

Descrição: Diácono = servo. Data: agosto/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

A palavra diácono vem do termo grego diákonos e significa servo. [1]. No sentido da palavra, todo cristão é diácono, pois todos devem ser servos uns dos outros. Jesus falou: “Como vocês sabem, os governadores dos povos pagãos têm autoridade sobre eles e mandam neles. Mas entre vocês não pode ser assim. Pelo contrário, quem quiser ser importante, que sirva os outros, e quem quiser ser o primeiro, que seja o escravo de todos.” (Marcos 10.35-44, NTLH) [2] E Pedro, na sua carta: “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (1 Pedro 4:10, RA.) [3].

 

 

clip_image006

Descrição: Crianças desnutridas na Etiópia. Data: 23/07/2011.  Autor: DFID - UK Department for International Development. Obra completa.   Licença CC BY.

 

Mas surgiram alguns servos especiais, com uma tarefa muita importante, que ficaram conhecidos como diáconos. Para entender o porquê da escolha desses servos, vamos analisar a questão da misericórdia, da caridade e da solidariedade, pregada e vivida por Jesus. Veja o que ele falou: “Felizes as pessoas que têm misericórdia dos outros, pois Deus terá misericórdia delas. (Mateus 5.7, NTLH.) [4]. ”Tenham misericórdia dos outros, assim como o Pai de vocês tem misericórdia de vocês.” (Lucas 6:36. NTLH) [5]. Para um homem rico ele disse: “Se você quer ser perfeito, vá, venda tudo o que tem, e dê o dinheiro aos pobres, e assim você terá riquezas no céu.” (Mateus 19.21, NTLH.) [6]. Ele não pediu o dinheiro para ele, mas para os pobres. Se fosse hoje, muitos pediriam suas riquezas para a igreja institucionalizada gastar com um monte de coisas que não são obras assistenciais. É duro ver muitas igrejas gastando tanto dinheiro enquanto pessoas, incluindo crianças, passam por diversas necessidades.

 

Como se sente ao ver uma imagem como essa da foto? Se fosse o seu filho ou filha, como se sentiria?

 

 

clip_image008

Descrição: Jesus curando um paralítico. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Jesus, por causa da sua bondade, alimentou multidões e curou pessoas de várias doenças, tudo sem cobrar nada. Não exigiu qualquer oferta como alguns pregadores que pedem ofertas de sacrifício para ministrarem bênçãos para os outros. Foi tudo por amor, bondade, solidariedade, misericórdia. Ele realizou diversos milagres, não para se exibir, fazer marketing pessoal ou ministerial, como hoje em dia, mas para ajudar as pessoas. Por isso ele disse para elas não contarem para ninguém os milagres que tinham recebido. (Mateus 8,1-4; 9.27-30; 12.9-16; Lucas 8.40-56.) [7]. Que contradição! Hoje, muitos gostam de ostentar os milagres realizados. Com a desculpa de que estão glorificando a Deus, glorificam a sua pessoa e a sua igreja institucionalizada, fazendo marketing e proselitismo. Se agissem com amor verdadeiro, tudo seria como Jesus.

 

 

clip_image010

Descrição: Fome na Etiópia. “Estava com fome, e vocês me deram comida.” Data: 26/07/2011.  Autor: DFID - UK Department for International Development. Fonte. Licença CC BY.

 

 

E os diáconos? O que tudo isso tem a ver com eles? Pra entender melhor, veja esse trecho das palavras de Jesus sobre o destino das pessoas: “Quando o Filho do Homem vier como Rei, com todos os anjos, ele se sentará no seu trono real. Todos os povos da terra se reunirão diante dele, e ele separará as pessoas umas das outras, assim como o pastor separa as ovelhas das cabras. Ele porá os bons à sua direita e os outros, à esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham, vocês que são abençoados pelo meu Pai! Venham e recebam o Reino que o meu Pai preparou para vocês desde a criação do mundo. Pois eu estava com fome, e vocês me deram comida; estava com sede, e me deram água. Era estrangeiro, e me receberam na sua casa. Estava sem roupa, e me vestiram; estava doente, e cuidaram de mim. Estava na cadeia, e foram me visitar.’ Então os bons perguntarão: ‘Senhor, quando foi que o vimos com fome e lhe demos comida ou com sede e lhe demos água? Quando foi que vimos o senhor como estrangeiro e o recebemos na nossa casa ou sem roupa e o vestimos? Quando foi que vimos o senhor doente ou na cadeia e fomos visitá-lo?’ Aí o Rei responderá: ‘Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram.’

 

clip_image012

Descrição: Criança pobre na Nigéria, com fome e sem roupa. Estava sem roupa, e não me vestiram.” Data: 1960. Autor: Dr. Lyle Conrad. Obra completa e licença DP.

 

 

Depois ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastem-se de mim, vocês que estão debaixo da maldição de Deus! Vão para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos! Pois eu estava com fome, e vocês não me deram comida; estava com sede, e não me deram água. Era estrangeiro, e não me receberam na sua casa; estava sem roupa, e não me vestiram. Estava doente e na cadeia, e vocês não cuidaram de mim.’ Então eles perguntarão: ‘Senhor, quando foi que vimos o senhor com fome, ou com sede, ou como estrangeiro, ou sem roupa, ou doente, ou na cadeia e não o ajudamos?’ O Rei responderá: ‘Eu afirmo a vocês que isto é verdade: todas as vezes que vocês deixaram de ajudar uma destas pessoas mais humildes, foi a mim que deixaram de ajudar.’ E Jesus terminou assim: ‘Portanto, estes irão para o castigo eterno, mas os bons irão para a vida eterna.’” (Mateus 25.31-46, NTLH.) [8].

 

 

clip_image014

Descrição: Cena da parábola do bom samaritano. O desprezo do sacerdote. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

E os diáconos? Calma! Você já vai entender.

 

“Um mestre da Lei se levantou e, querendo encontrar alguma prova contra Jesus, perguntou: ‘Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?’ Jesus respondeu: ‘O que é que as Escrituras Sagradas dizem a respeito disso? E como é que você entende o que elas dizem?’ O homem respondeu: ‘Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo.’ ‘A sua resposta está certa!’ disse Jesus. ‘Faça isso e você viverá.’ Porém o mestre da Lei, querendo se desculpar, perguntou: ‘Mas quem é o meu próximo?’ Jesus respondeu assim: ‘Um homem estava descendo de Jerusalém para Jericó. No caminho alguns ladrões o assaltaram, tiraram a sua roupa, bateram nele e o deixaram quase morto. Acontece que um sacerdote estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de passar pelo outro lado da estrada. Também um levita passou por ali. Olhou e também foi embora pelo outro lado da estrada.

 

 

clip_image016

Descrição: Cena da parábola do bom samaritano. O socorro do homem ferido pelo samaritano. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

Mas um samaritano que estava viajando por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, ficou com muita pena dele. Então chegou perto dele, limpou os seus ferimentos com azeite e vinho e em seguida os enfaixou. Depois disso, o samaritano colocou-o no seu próprio animal e o levou para uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, entregou duas moedas de prata ao dono da pensão, dizendo: ‘Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que você gastar a mais com ele.’ Então Jesus perguntou ao mestre da Lei: ‘Na sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem assaltado?’ ‘Aquele que o socorreu!’ respondeu o mestre da Lei. E Jesus disse: ‘Pois vá e faça a mesma coisa.’” (Lucas 10.25-37, NTLH.) [9].

 

Hoje em dia, enquanto os samaritanos da vida estão ajudando o próximo, muitos “levitas e sacerdotes” das igrejas modernas passam longe, com pressa, ocupados com os seus afazeres religiosos.

 

 

clip_image018

Descrição: Lázaro na casa do homem rico. Data: Século XIX. Autor: Gustave Doré (1832-1883). Fonte e licença DP.

 

Mas o que isso tem a ver com os diáconos? Calma! Veja mais essas palavras de Jesus, e logo explicaremos.

 

Outra vez ele disse: “Havia um homem rico que vestia roupas muito caras e todos os dias dava uma grande festa. Havia também um homem pobre, chamado Lázaro, que tinha o corpo coberto de feridas, e que costumavam largar perto da casa do rico. Lázaro ficava ali, procurando matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do homem rico. E até os cachorros vinham lamber as suas feridas. O pobre morreu e foi levado pelos anjos para junto de Abraão, na festa do céu. O rico também morreu e foi sepultado. Ele sofria muito no mundo dos mortos. Quando olhou, viu lá longe Abraão e Lázaro ao lado dele. Então gritou: ‘Pai Abraão, tenha pena de mim! Mande que Lázaro molhe o dedo na água e venha refrescar a minha língua porque estou sofrendo muito neste fogo!’ Mas Abraão respondeu: ‘Meu filho, lembre que você recebeu na sua vida todas as coisas boas, porém Lázaro só recebeu o que era mau. E agora ele está feliz aqui, enquanto você está sofrendo. Além disso, há um grande abismo entre nós, de modo que os que querem atravessar daqui até vocês não podem, como também os daí não podem passar para cá.’” (Lucas 16.19-26, NTLH.) [10].

 

 

clip_image020

Descrição: Os primeiros cristãos tinham tudo em comum. Data: 1984. Autor: Jim Padgett. Fonte. Licença CC BY-SA.

 

 

Agora você vai compreender onde queremos chegar.

 

Em Jerusalém, os primeiros cristãos entenderam esses ensinos de Jesus Cristo e viviam ajudando uns aos outros, socorrendo todos os necessitados. “Todos os que criam estavam juntos e unidos e repartiam uns com os outros o que tinham. Vendiam as suas propriedades e outras coisas e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um. Todos os dias, unidos, se reuniam no pátio do Templo. E nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade.” (Atos 2.44-46, NTLH.) [11]. “Todos os que creram pensavam e sentiam do mesmo modo. Ninguém dizia que as coisas que possuía eram somente suas, mas todos repartiam uns com os outros tudo o que tinham. Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e Deus derramava muitas bênçãos sobre todos. Não havia entre eles nenhum necessitado, pois todos os que tinham terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro e o entregavam aos apóstolos. E cada pessoa recebia uma parte, de acordo com a sua necessidade.” (Atos 4.32-35, NTLH.) [12].

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br