Confraternização (Parte I)

Livres dos Fardos Religiosos. 

O que você vai ver agora vai mudar seus conceitos sobre igreja. Você vai ver que muitas igrejas ricas, na verdade, são pobres, e que é possível desenvolver uma igreja simples, extremamente rica espiritualmente.

 

Os discursos dos líderes do sistema religioso tradicional dizem sempre que a pessoa precisa se tornar membro de uma igreja institucionalizada e frequentar uma igreja templária para não ficar isolada. Mas é puro proselitismo. A igreja primitiva não fazia isso, e as pessoas viviam muito mais unidas através dos núcleos de confraternização. Hoje, podemos fazer o mesmo. Por outro lado, nas grandes igrejas institucionalizadas e templárias, as pessoas estão juntas, mas não estão realmente unidas fraternalmente como deviam. Há muitas pessoas lá dentro, juntas umas das outras, mas, paradoxalmente, estão isoladas.

 

Judaização do evangelho

 

 

image

 

Antigo Testamento – Lei de Moisés anunciada por Moisés

Novo Testamento – Evangelho do reino de Deus pregado por Jesus

Com Jesus nós podemos avançar deixando para trás os tempos de ignorância

Mas a judaização do evangelho faz as pessoas voltarem para trás

Descrição: Judaização do evangelho. Data: março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

O versículo utilizado para defender a necessidade de se filiar a uma igreja institucionalizada e de freqüentar uma igreja templária é o que se encontra na carta aos Hebreus: “E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos à caridade e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns; antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia. (Hebreus 10:24-25, RC.) [1].

 

É claro que o texto não se refere a nada disso. Quando ele foi escrito, não havia igrejas desse tipo. Ele se refere aos encontros de confraternização que havia entre os irmãos naquela época. A carta foi escrita aos hebreus cristãos que ainda não estavam bem sintonizados com o verdadeiro evangelho. A carta fala da superioridade da obra de Cristo em relação à lei de Moisés. Mas naquele tempo, muitos estavam tentando judaizar o evangelho. Alguns cristãos judaizados estariam congregando como se fossem judeus. Mas deveriam congregar dentro dos princípios do verdadeiro evangelho, que nos libertou da lei de Moisés. Essa é a congregação ou reunião, despida de toda liturgia judaica, que as pessoas não deviam abandonar segundo Hebreus 10.25, mas que, infelizmente, a igreja abandonou, como veremos ao longo de várias mensagens. A construção de templos, a criação de sacerdócio, o dízimo e muitas outras coisas, tudo serviu para causar o abandono da congregação do evangelho puro e a volta à congregação nos moldes do judaísmo. Então, o texto que usam para defenderem suas igrejas judaizadas, na verdade as condena.

 

A congregação de Israel X a igreja livre da lei X a igreja judaizada

 

Israel

Igreja livre

Igreja judaizada

Havia um templo como morada de Deus.

Nós somos a morada de Deus. O Espírito Santo de Deus habita em nós. (1 Coríntios 3:16; 1 Coríntios 6:19; João 14:23; Efésios 2.20-22; 1 Pedro 2.5.) [2]. 

“Igrejas-templos” chamadas de casas do Senhor ou templos do Senhor.

Havia um sumo sacerdote (Êxodo 28; Levítico 16.) [3].

Jesus Cristo é considerado o nosso eterno sumo sacerdote. (Hebreus 4.14-15 e 5.5-6.) [4].

Há um líder supremo. O papa ou pastor presidente, que é tratado, muitas vezes, como sumo sacerdote.

Havia vários sacerdotes menores. (Êxodo 28 e 29; Levítico 21; 1 Crônicas 24.) [5].

Nós todos que aceitamos os ensinos de Cristo somos considerados sacerdotes com ele (I Pedro 2.5 e 9; Apocalipse 1.6 e 5.10.) [6].

Os padres são tratados como sacerdotes. Muitos pastores agem como sacerdotes.

Lendo a lei de Moisés, encontramos uma liturgia ritualística enorme, executada pelo sumo sacerdote, auxiliado pelos sacerdotes.

Jesus nos libertou dessa lei ritualística. (Romanos 7:6, RA.) [7]. (Gálatas 5:18, RA.) [8].

Há uma liturgia realizada por padres e pastores. Algumas se semelham à liturgia do judaísmo, e outras, à do paganismo.

Lendo o Antigo Testamento, vemos os hebreus (israelitas) se reunindo para praticarem rituais.

Na igreja livre de rituais, os cristãos se reúnem para a confraternização.

Na igreja judaizada, as pessoas se reúnem para praticarem rituais e acabam ficando sem oportunidades para praticarem a confraternização.

Descrição: A congregação de Israel X a igreja livre da lei X a igreja judaizada. Data: Março/2013. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Como podemos ver, uma parte da igreja se desviou para a judaização. Os cristãos judaizantes conseguiram seus objetivos. Mas o escritor da carta aos hebreus, depois de comparar, com muitos detalhes, a obra de Cristo em relação às obras da lei de Moisés, pediu que não deixássemos a congregação da Igreja livre da lei.

 

image

Descrição: Confraternização. Data: Julho/2012. Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

Os primeiros cristãos de Jerusalém viveram livres da lei, firmes na comunhão, no partir do pão e nas orações. Eles estavam juntos e tinham tudo em comum. “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns” Eles repartiam o que tinham uns com os outros, segundo a necessidade de cada um. Por isso, entre eles, não havia necessitado algum. “Comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo” (Atos 2.42-47; Atos 4.32-35, RC.) [9].

 

Confraternização é o ato de confraternizar, ou seja, viver unidos como irmãos, conviver, tratar os outros fraternalmente. [10]. Foi o que os primeiros cristãos fizeram em Jerusalém. É assim que deve ser a nossa congregação.

 

Precisamos nos aproximar uns dos outros. Para isso, é importante haver encontros, não para a realização de rituais, mas para dar oportunidades para todos aprenderem a viver fraternalmente. Para isso, precisamos, não de templos, mas de núcleos de confraternização, que podem ser qualquer lugar onde seja possível estarem duas, três, quatro ou mais pessoas. Como podemos ver, um núcleo de confraternização é coisa simples. Não é nenhum ambiente especial caro, imponente e gerador de despesas como os templos.

 

A igreja de Jesus é como um corpo. Cada um é um membro desse corpo, e cada membro tem a sua função. Mas assim como, num corpo, todos os membros estão juntos, da mesma forma, na igreja, o corpo de Cristo, todos precisam estar unidos, vivendo como verdadeiros irmãos. Não podemos ficar isolados uns dos outros. Precisamos nos unir e usar nossos dons para a edificação uns dos outros. Veja o que Paulo escreveu para os romanos:

 

“Porque, assim como em um só corpo temos muitas partes, e todas elas têm funções diferentes, assim também nós, embora sejamos muitos, somos um só corpo por estarmos unidos com Cristo. E todos estamos unidos uns com os outros como partes diferentes de um só corpo.” (Romanos 12.4-5, NTLH.) [11]

 

Continuaremos no próximo post.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto (não o site inteiro) está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br