Translate, traduzir

Hipóteses religiosas

Livres dos Fardos Religiosos

 

Na Antiguidade, as pessoas supunham que o planeta Terra fosse um plano coberto por uma curvatura giratória (uma abóbada), onde as estrelas estavam fixas como lâmpadas. Imaginavam também que o Sol morria à noite e renascia pela manhã. [1]. Quando eles olhavam para cima e para os lados, essas idéias pareciam verdadeiras. Por isso, a Bíblia diz, no livro de Jó, que Deus passeia pela abóbada do céu. [2].

 

 

clip_image002

Descrição: A terra na visão dos povos da Antiguidade. Data: fevereiro/2013.  Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

Essas hipóteses prevaleceram até que cientistas comprovaram que a Terra é esférica, e que todos os astros estão em constante movimento, e também que o Sol não morre: apenas fica encoberto do outro lado do globo por causa do seu movimento de rotação. É tudo bem diferente daquilo que era a imaginação dos antigos. [3].

 

Hipótese significa suposição, suspeita, conjectura, presunção. Não é uma fantasia, mas também não é uma verdade segura. É algo que parece ser desse ou daquele jeito, mas que não se tem certeza absoluta. É uma idéia sem comprovação científica segura e que precisa ser investigada tendo, portanto, apenas explicações provisórias. [4], [5], [6]. Há muitas hipóteses religiosas, e algumas são declaradas arbitrariamente como verdades absolutas.

 

Nem tudo é o que parece ser. O céu parece ser um grande manto azul estendido como uma abóbada sobre a terra. Bem distante, por trás dos horizontes, esse manto parece encontrar com o chão, indicando os confins do mundo. Porém, tudo é mera impressão. A verdade é outra. Estamos dentro dum mundo muito mais sublime, solto no espaço infinito.

 

Veja outras crenças antigas baseadas em hipóteses:

 

clip_image004

Descrição: A terra como uma esfera plana. Data: fevereiro/2013.  Autor: Maralvestos. Licença CC BY-SA.

 

·       A terra era vista como um prato, cujo céu era como se fosse uma tampa. Sendo o nosso planeta plano e esférico como um grande prato, as pessoas acreditavam que algo muito alto poderia ser visto dos confins da terra. [7]. O rei Nabucodonosor da Babilônia sonhou com uma árvore gigantesca que podia ser vista dos confins da terra. Observe que ele sonhou conforme a crença da época. [8]. Foi com essa mesma idéia que Mateus e Lucas descreveram a tentação de Jesus que teria visto todos os reinos do mundo a partir de um alto monte. [9]. Sabemos que nem mesmo do alto do pico Everest, o maior pico do mundo, isso seria possível, visto que a terra é um globo, e não uma esfera plana ou uma grade planície, como era imaginada. [10].

 

·       Muitas pessoas antigas acreditavam que havia água acima do azul do céu. Acreditavam que Deus fez a separação das águas em duas partes: uma ficou em baixo em forma de rios, lagos e mares, e a outra teria sido colocada por cima do firmamento. A Bíblia fala dessa crença. Veja essa declaração: “E disse Deus: ‘Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas.’ Fez, pois, Deus o firmamento e separação entre as águas debaixo do firmamento e as águas sobre o firmamento. E assim se fez.” [11]. O salmista disse: “Louvai-o, céus dos céus e as águas que estão acima do firmamento.” [12].

 

·       Jó exalta o poder de Deus de acordo com as hipóteses da época. Ele disse que Deus prende as águas em suas densas nuvens, e a nuvem não se rasga debaixo delas. Ele considerou as nuvens não como vapor de água, mas como mantos resistentes, carregados de água por cima. [13].

 

·       Jó também diz que as colunas do céu tremem, e se espantam da ameaça divina. [14]. Dizem que muitos acreditavam que o céu (o firmamento) estava preso à terra através de colunas. Enoque, um homem misterioso da Antiguidade, também fala das colunas do céu em seu livro. [15]. Os terremotos eram entendidos como um abalo das colunas que supostamente sustentavam a terra. [16].

 

·       Olhando o Sol nascer, atravessar o céu e se pôr dá a impressão que ele se move ao redor da Terra. Essa era a idéia dos antigos. Era a crença conhecida como geocentrismo: a Terra no centro do Universo, e tudo girando em torno dela, incluindo o Sol e a Lua. [17]. Na Idade Moderna, a igreja ainda conservava a crença hipotética de que o nosso planeta era o centro do Universo. [18]. A Bíblia possui textos que poderiam ser usados para defender essa hipótese. O Livro de Josué diz que sol parou no meio do céu e ali ficou quase um dia inteiro.[19]. Tendo esse fato realmente acontecido, a Terra é que teria parado com o seu movimento de rotação. O sábio Salomão escreveu: “E nasce o sol, e põe-se o sol, e volta ao seu lugar, de onde nasceu.” [20]. Esse texto também poderia ser usado para defender tal crença. No entanto, a ciência comprovou que tudo não passava de conjeturas.

 

Algumas idéias costumam demonstrar um pouco de verdades. Por exemplo: o livro de Jó diz que “Deus estendeu o céu sobre o vazio e suspendeu a terra por cima do nada.” [21]. Hoje sabemos, comprovado pela ciência, que a Terra está solta no espaço. Todavia, o texto de Jó não expressa isso com toda clareza. Ainda em Jó, podemos ver que foi descrito que Deus “reúne as gotas das águas que derrama em chuva do seu vapor, a qual as nuvens destilam e gotejam sobre o homem abundantemente.” [22]. Essas palavras dão uma idéia da realidade do ciclo das águas mostrado pela ciência. A água evapora, os vapores sobem para o espaço e formam as nuvens, e elas deixam a chuva cair sobre a terra. O profeta Amós também expressou essa idéia dizendo que Deus chama as águas do mar e as derrama sobre a terra, embora tenha também descrito o céu como uma abóbada. [23]. Por outro lado, como já vimos, o livro de Jó errou ao achar que as nuvens eram como lençóis, carregando água presa por cima. [24].

 

Diante de tudo isso, podemos concluir que muitas crenças e doutrinas foram fundamentadas em meras suposições. Nota-se que as pessoas falavam sobre o poder de Deus, mostrando as maravilhas da natureza, expressando crenças hipotéticas que às vezes estavam corretas, mas muitas vezes eram completamente erradas. Por isso, a Bíblia possui muitas declarações que não podem ser consideradas como verdades absolutas.

 

Precisamos tomar cuidado. Se todos nós cometemos erros observando o mundo material diante dos nossos olhos, quanto mais erros nós podemos cometer imaginando o mundo espiritual apenas estampado no campo da fé. Muitos defensores da inerrância absoluta da Bíblia precisam ser mais honestos e entender que todo ser humano cometeu e continuará cometendo enganos, mesmo com as melhores das intenções. Por isso, dogmas são tolices de seres humanos fanáticos.

 

Hipóteses não são proibidas, e todos nós podemos criá-las. Entretanto, não é conveniente transformar nossas suposições em verdades definitivas. Não podemos escravizar e nem iludir a humanidade com meras idéias. Não devemos criar dogmas, colocando um ponto final nas nossas doutrinas. Somos humanos e nos enganamos em muitas coisas. Não podemos permitir que meras hipóteses escondam grandes verdades. A abóbada celeste foi descortinada e descobrimos um Universo sem fim. Que as cortinas dogmáticas caiam por terra para podermos conhecer quão sublime é o nosso Deus.

 

Autor: Maralvestos Tovesmar. Este texto está disponível nos termos da licença CC BY-NC-ND. Pode ser copiado e distribuído, informando o autor e o link seguinte, mas não pode ser modificado e nem comercializado. Data: 2013. Veja outras mensagens em http://livresdosfardosreligiosos.blogspot.com.br



[1] Cosmologia. Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.

[11] Gênesis 1.6-7, RA. Ver New King James Version

[12] Salmo 148.4, RA. Ver New King James Version.

[20] Eclesiastes 1.5, RC. Ver New King James Version.